x
Convex Datacenter
  • Equipe Mitsubishi Petrobras está pronta para o Rally Dakar 2014

    Mola-mit.jpg
    A Equipe Mitsubishi Petrobras já está pronta para o Rally Dakar 2014, que será realizado entre 4 e 18 de janeiro. Esse ano, a marca terá presença em dobro: serão dois ASX Racing representando o Brasil no maior rali do mundo. As duplas serão compostas por Guilherme Spinelli / Youssef Haddad e Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin.

    "Trabalhamos muito no ASX Racing durante todo o ano. A cada rali que participamos, conseguimos melhorar o carro. É lógico que continuaremos a encontrar pontos a evoluir, mas largaremos no Dakar desse ano com o ASX mais bem preparado do que nas competições anteriores. Com dois carros idênticos, ainda teremos a chance de trocar experiências entre as duplas e juntos encontrarmos novos acertos. Temos que caprichar ao máximo, manter total concentração e torcer para que a equipe consiga fazer um bom rali, estou muito animado para a próxima edição", afirma Guiga Spinelli.

    Seu navegador, Youssef Haddad, também encontra vantagens em ter mais uma dupla na equipe. "Poderemos trocar experiências com o Varela e o Gugelmin sobre o acerto dos carros entre cada etapa. Durante as especiais, não podemos nos comunicar com outras duplas, mas ao fim de cada dia, na reunião com a equipe, teremos a oportunidade de avaliar a percepção de cada um de nós.", comenta Youssef.

    Em seu primeiro ano na Equipe Mitsubishi Petrobras, Reinaldo Varela está otimista, e comenta que sua vasta experiência em ralis será importante durante o Dakar. "Cada rali que participamos serve como experiência para 2014. É como se estivéssemos nos preparando há 30 anos", afirma Varela, que chega à sua sexta participação no Rally Dakar.

    Gustavo Gugelmin, que é o estreante da turma, espera encontrar muitos desafios durante trajeto, que passará por Argentina e Chile, e aposta na qualidade do ASX Racing para conseguir uma boa posição na classificação geral. "Fizemos um bom trabalho de preparação. O carro é confiável e bem acertado. Com certeza ele será um peso a nosso favor durante a competição", adianta Gugelmin.

    A equipe percorrerá um trajeto de mais de 9 mil quilômetros em duas semanas, passando por dunas, trechos de montanha, travessias de rio e estrada vicinais. Algumas especiais serão bastante longas, com mais de 600 quilômetros. "Esse será um desafio de resistência. Mas, muitas vezes, as etapas curtas são as mais traiçoeiras e mais técnicas", alerta Guiga.