x
Convex Datacenter
  • Conheça os carros de batalha mais modernos do Brasil

    Rebocando com o Suzuki-carros-guerra-1-g-20110504.jpg

    Com segurança não se brinca. E, quando se trata de segurança nacional, o assunto fica ainda mais complexo. A modernização das frotas de veículos das Forças Armadas e da segurança pública é um dos assuntos em pauta no LAAD – Latin America Aero & Defence 2011, a maior feira de defesa e segurança da América Latina, que foi realizada em abril no Rio de Janeiro. O evento reúne bienalmente empresas de todo o mundo especializadas no fornecimento de equipamentos e serviços para as Forças Armadas, polícias, forças especiais, serviços de segurança e outras agências governamentais.

    Como uma espécie de feirão de negócios militares, a LAAD desse ano reuniu 663 expositores em uma área de 47 mil metros quadrados no RioCentro, na Zona Oeste carioca. Lá era possível encontrar desde coletes à prova de balas a helicópteros militares de última geração. Todos os equipamentos, apesar de diferentes, têm um mesmo objetivo: agradar aos chamados “delegados oficiais”.

    São militares de alta patente, autoridades, especialistas ou mesmo funcionários de diversos governos de todo o mundo, que decidem, ou ajudam a decidir, quais os equipamentos/veículos de defesa e segurança devem ser adquiridos. Era prevista a presença de delegações de mais de 50 países no evento.

    Entre as diversas novidades do setor automotivo da LAAD 2011, o blindado Iveco Guarani era um dos destaques. Isso porque o modelo anfíbio de tração 6X6 foi inteiramente desenvolvido no Brasil, numa parceria entre a marca italiana e o Exército Brasileiro.

    - A parceria com as Forças Armadas começou em 2007. No último trimestre de 2012 serão entregues 2.044 unidades para o Exército brasileiro, explica Marco Mazzu, presidente da Iveco Latin America.

    A Iveco anuciou a criação de uma divisão de veículos militares nomeada Iveco Veículos de Defesa. A nova divisão começa com um investimento de R$ 75 milhões, para a construção de uma unidade produtiva dentro do complexo industrial da Iveco na cidade mineira de Sete Lagoas.
    Bastante à vontade no evento, graças à sua origem militar, a Jeep levou para a feira o lendário J8, montado sobre a plataforma do Wrangler. O modelo para fins militares traz reforços no chassi e estrutura de carga, freios e suspensão mais resistentes ao desgaste, além de um robusto eixo traseiro Dana 60. Sob o capô do J8 está o motor 2.8 litro diesel de 196 cv – não disponível no “jipão” civil à venda no Brasil.

    - O Jeep J8 tem capacidade de carga de 12 mil quilos, três vezes a mais do que o modelo visto nas ruas, destaca Jack Robinson, General Manager da Jeep.

    Próximos ao estande da marca símbolo do militarismo norte-americano, empresas automotivas bem menos conhecidas também marcam presença com seus modelos. Como a espanhola Urovesa, que trouxe ao Rio de Janeiro seu mal encarado blindado Vamtac MS-3, com 188 cv e câmbio automático.
    Enquanto alguns modelos vieram para o evento recheados de modificações, outros se mantiveram mais originais. O Land Rover Defender que integra a frota da Marinha, por exemplo, só traz pintura militar, grades e barras – instaladas pela própria Marinha. Fora isso, o modelo é idêntico ao que pode ser visto nas ruas.

    - No Reino Unidos temos 40 mil veículos como estes. No Brasil não passam de 1 mil, contabiliza Graham Edwards, Contracts Manager da Land Rover.

    A francesa Renault, por sua vez, exibiu o caminhão Kerax 6X6. O peso-pesado de 25 toneladas é movido por um robusto motor diesel de seis cilindros e 460 cv.
    No estande da Scania, um vistoso caminhão amarelo chama a atenção entre tantos diversos modelos camuflados. O chamado P420 CB4X4HHZ estava presente em sua configuração para combater incêndios em aeroportos. A cor amarela, a tração integral, o motor de 12 litros de 425 cv e outros detalhes são exigências internacionais para veículos com esta função.

    - Um aeroporto que quiser receber aeronaves grandes terá que ter obrigatoriamente um caminhão como este, destaca Alex Neri, engenheiro de vendas da marca sueca.
    A MAN Latin America, que comercializa no Brasil os caminhões Volkswagen, tinha como maior atração em seu estande o VW Worker 15.210 4X4. O modelo já é utilizado pelo Exército brasileiro – inclusive na missão de paz da ONU no Haiti. O caminhão traz algumas modificações, entre elas, a suspensão elevada e reforçada e adição de quabra-mato e guincho.

    - Até mesmo o motor de 206 cv e 65 kgfm de torque é específico para o uso militar, revela Paulo Galizia, consultor de vendas especiais da Volkswagen.
    Entre os modelos que fizeram mais sucesso com o público presente ao evento estão os policiais Chevrolet Tahoe e o Maverik. O utilitário da marca americana é fabricado nos Estados Unidos, onde é usado inclusive pela família do presidente americano Barack Obama.

    - O modelo exposto só traz giroflex e pintura. Um pacote de modificações pode ser estudado, explica Erick Loretto, gerente regional de vendas diretas da Chevrolet.

    Já o Maverik é uma espécie de “caveirão” produzido pela sul-africana Paramount Group. Seu poderoso motor turbodiesel de 6 cilindros gera 300 cv e 112,1 kgfm de torque. No entanto o peso de 14.200 kg – veículo, carga e passageiros – limita sua velocidade máxima aos 100 km/h. Sem muita velocidade, mas com muita segurança – bem no clima do evento.
    Frota de elite
    A maior e mais importante feira de Defesa e Segurança da América Latina teve poucos expositores brasileiros. A Agrale era uma das raras empresas nacionais no LAAD 2011. Em seu estande estava o novo utilitário Marruá AM 31, que foi desenvolvido para atender às especificações militares na faixa de 1,5 tonelada.

    A nova versão tem como principal diferencial a maior capacidade de carga: 1.500 kg na viatura, mais 1.500 kg tracionados em qualquer terreno. Atualmente a linha de viaturas da empresa inclui versões para o transporte de tropas, reconhecimento, guerra eletrônica, comando e controle, ambulância – também presente no evento –, entre outros. Toda a linha possui PBT de 4.850 kg e tem motorização diesel MWM 4.1, de 132 cv ou 150 cv.
    Outra fabricante nacional de veículos que marcou presença no evento é a catarinense TAC Motors. A pequena empresa de veículos off-road sediada em Joinville aproveitou o LAAD para lançar o Stark IRV, uma versão militar de seu pequeno jipe 4X4, projetada para enfrentar severas condições de clima e terreno. A proposta do veículo é apoiar a ação tática de forças policiais e militares em atividades contra o narcotráfico, contrabando de armas, monitoramento de fronteiras, segurança de massas e outras necessidades de segurança interna.

    - Poderá ser utilizado na segurança dos grandes eventos que acontecerão em breve no Brasil, afirma Neimar Braga, presidente executivo da TAC Motors.

    O modelo conta com radar de vigilância, sistema eletro-óptico diurno e noturno e comunicação via satélite, desenvolvidos em parceria com a IAI Elta, empresa israelense de indústria aeroespacial.

    Fonte: Portal R7