Resultados 1 a 7 de 7
  1. #1
    Usuário Avatar de rogeriomasih
    Entrada
    28/03/2007
    Local
    Fortaleza/CE
    Idade
    40
    Posts
    2,064

    Quando trocar os cabos de vela?




    Sei que a maioria das viaturas aqui é a diesel, mas gostaria de saber se os colegas podem me orientar sobre como testar se um cabo de vela está em bom estado ou deve ser substituído.

    Neste link são passadas boas instruções, mas pensei em algo mais simples.

    Aguardo o pronunciamento dos companheiros.

    =========================================

    Quando trocar os cabos de vela?

    Publicado 6/Julho/2007 Motores 17 Comentários

    Veículos que possuem cabos de ignição (cabos de vela) podem apresentar falhas diversas quando esse componente está em condições ruins ou no final da sua vida útil. Dentre as falhas comuns estão o aumento de consumo, funcionamento irregular do motor, dificuldade na partida e perda de potência.
    Os cabos de ignição podem ser de vários tipos:

    1. não resistivos
    2. cabos resistivos
    3. terminais resistivos

    No caso dos não resistivos, muitas vezes utilizados em carros de competição ou muito antigos, a interferência eletromagnética gerada pela corrente que transpassa o condutor interfere no funcionamento dos sistemas eletrônicos com carro, como o aparelho de som, sistema de injeção eletrônica e sistemas de controle computadorizados em geral. Quem não lembra dos velhos Passat’s com toca-ficas chiando quando se acelerava?
    Sendo assim, hoje é predominante o uso de cabos ou terminais resistivos.
    Muita gente pensa que pode colocar um condutor de grande bitola no lugar do cabo, porém ele não é um simples fio (se fosse, não custaria tão caro). Ele é composto por um condutor de grande precisão, um sistema de isolamento e aterramento e um sistema de resistência à tração (ou seja, aguenta “mais” sem quebrar). Os materiais que fazem parte de um cabo de ignição são caros e sua construção é delicada, justificando o valor agregado no produto final.
    Como saber se meu cabo de ignição está bom?
    Se for um cabo de terminais resistivos, basta olhar nos terminais o valor da resistência (muitas vezes os terminais apresentam valores diferentes ou mesmo um deles pode não ser resistivo). Se um terminal tiver 4kΩ e outro, 2kΩ, ao medir a resistência ponta-a-ponta do cabo de velas a resistência deve estar em torno de 6kΩ podendo variar para pouca coisa mais.
    Se for um cabo resistivo, as seguintes fórmulas devem ser usadas:

    Xa kΩ = (Ycm * 6kΩ) / 100cm
    Xb kΩ = (Ycm * 10kΩ) / 100cm

    Onde Ycm é a medida, em centímetros, do cabo sendo testado. Meça cabo por cabo e realize as duas contas, você obterá Xa e Xb, ambos em kΩ, que indica que o cabo sendo testado deve apresentar resistência com valor entre Xa e Xb. Suponha que o cabo tenha 30cm, então:

    Xa kΩ = (30cm * 6kΩ) / 100cm = 1,8kΩ
    Xb kΩ = (30cm * 10kΩ) / 100cm = 3,0kΩ

    Se o valor medido via ôhmímetro foi de 2,4kΩ, então 1,8kΩ <= 2,4kΩ <= 3,0kΩ, portanto o cabo está em boas condições.
    O que é um ôhmímetro (Ω-meter)
    É um aparelho que mede a resistência entre dois pontos de um material condutor. Normalmente é encontrado nas oficinas na forma de multímetro (também chamado multiteste). O multímetro contém além do ôhmímetro no mínimo um medidor de corrente (amperímetro) e um medidor de diferença de pontencial (voltímetro).
    O aparelho da foto é um multímetro comum.
    Para utilizar o multímetro para nosso teste, deve-se posicioná-lo na opção de ôhmímetro (medir resistência) e na escala imediatamente superior à de 10kΩ, ou seja, se seu multímetro possui escala para 5kΩ, 10kΩ e 20kΩ, posicione-o na escala de 20kΩ.
    Com o aparelho devidamente regulado, realize a medição posicionando cada uma das pontas de prova em contato com uma das pontas do cabo de ignição.
    Outras coisas que condenam um cabo de ignição
    Ressecamento, rupturas, dobras, descascamento, danos nos terminais, mal contato entre condutor e terminais ou mesmo entre terminal e velas ou plugue da bobina/distribuidor. Todas essas opções causam fuga de corrente e além de gerar uma faísca ineficiente aumentam o risco de choque elétrico ou de interferência nos sistemas eletrônicos do veículo.


    http://willedu.wordpress.com/?s=cabo+de+vela
    Samurai 97
    Fortaleza-CE

  2. #2
    Usuário Avatar de Rogério Gama
    Entrada
    31/01/2008
    Local
    Campos dos Goytacazes/RJ
    Idade
    39
    Posts
    794
    Acho que a maneira mais simples de testar é borrifando uma solução de amônia sobre os cabos. Se surgirem centelhas ao longo da capa de isolação dos cabos é porque está com fuga de corrente e devem ser trocados.

    Abraço.
    4X4 Brasil Razão: erro de digitação
    Ranger XLT TDI 4x4 CD 2001 - BFG 31" AT

  3. #3
    Usuário
    Entrada
    20/01/2009
    Local
    Ribeirão Preto - SP/SP
    Idade
    31
    Posts
    1,134
    vou ser bem sincero pra vc, trocar cabos de vela (qdo necessario MESMO) é algo raríssimo.

    Cabos de vela sao ítem caros, delicados e que merecem muita atençao na escolha (diria que se for pra trocar, somente por peça original e de preferencia novissima do estoque, pois se é um ítem que costuma encalhar no estoque sao os cabos de vela, e ano a ano eles obtem melhorias sutis mas obtem), ficar indo pelo empurrometro é fácil facil...

    Pra vc ter idéia já tive acho que todos os carros da GM possíveis e inimagináveis e te digo, carro GM só é bom qdo vc amacia na estrada e amacia com peso dentro, senao bebe pra kct , anda pouco e da manutencao, se fizer amaciamento com ele carregado ate o talo, na estrada e respeitando os limites do carro, vai ver o que eu digo na pratica e no bolso. Ao contrario das outras marcas que primam por um conjunto mais solto e mais leve entretanto mais barato.

    Enfim, tive uma época de economia drastica, onde meu carro era um corsa VHC (quem conhece sabe que o VHC é um carro de marchas curtissimas e só desenvolve em alta rotacao, portanto, vive esgoelado), andava cerca de mil a dois mil km por semana com o carro carregado até o talo SEMPRE, ida e volta carro chumbado no chao, normalmente usando de velocidades sempre acima dos usuais limites paulistas (nao coloco a velocidade por nao educado e pouco edificante, mas vc tira ai por base)...

    Rodei com esse corsa mais de 176 mil km, a unica manutencao que eu fazia era troca de correia. Veja eu disse única , portanto, esquece troca de vela, esquece suspensao, esquece liquido de arrefecimento, esquece fluido de freios, esquece, esquece e isso tambem esquece. Nem aditivo eu colocava. Eu disse que foi uma epoca de economia drastica auehauehuahe

    Portanto, compreenda, o carro era usado muito acima do limite de peso (e qdo eu digo peso, entenda que é porta mala + banco de tras + assoalho+ onde tiver espaco mesmo), de velocidade e nenhuma manutencao. Fui ter problemas com o carro lá perto dos 150 mil km e o problema ng descobria, o carro falhava, bebia mais que o Lula em dia de churrasco, nao ligava de jeito nenhum etc etc etc...

    Levei em uns 17 ou mais auto eletrico, mecanico, bombista, injetorista, papai noel e até em benzedeira ehhehe

    Acabei que troquei vela, cabo de vela, sensor de rotacao, sensor de td q eh jeito ... Antes que eu fui nuns 10 auto eletrico diferentes e todos falavam o mesmo: troca vela e cabo de vela, como eu relutava em trocar os cabos (eram carissimos na epoca, nem sei qto é hj , mas era no minimo o preco de uns 2,5 jogos e meio da concessionaria que por sí só já custam o 2,5x a mais que um paralelo ehehe) meu pai foi num cara e trocou ...

    O que aconteceu????

    NADA, nao era o cabo de vela.. Mas isso nao vem ao caso, importante é falar do dito cabo de vela ehhehe

    Pouquissimos mecanicos tem o aparelho correto de medir o cabo de vela, na realidade alem do multimetro há um outro aparelho, que parece um revolver, que lanca uma luz meio estrobo meio raio laser e mede mm a mm o cabo (o mecanico tem que percorrer cabo a cabo, mm a mm para ver se em algum micro ponto tem defeito).

    A maioria olha pelo multimetro, ou nem olham, que é o caso de muitos meXanicos por aí . Ficam empurrando o cabo pq é um troco caro e que pra eles saem bem mais baratos.

    Eu levei os dois cabos (o original e o que meu pai comprou) e ambos tinham sua eficiencia quase identica, nenhum deles a ponto de substituir.

    Nao lembro o pq de usar os dois aparelhos (tecnicamente falando) mas é aquela coisa do copo de agua meio cheio, um ve que o copo tem metade com agua o outro ve que o copo tem metade de ar... Portanto, para saber certinho, procure uma auto eletrica que tenha ambos os aparelhos (e ja te digo, coisa dificiiiilima de achar, eu fiquei uns 3 meses pra achar!!).

    Em resumo trocar cabo de vela é algo raríssimo de ocorrer, até mesmo para quem usa o carro pra arregacar mesmo, RPM no maximo o tempo todo, velocidades altas, peso extra, nenhuma manutencao, velas em estado de morte completa, motor carbonizado etc etc etc.

    Se vc usa o carro decentemente, como um ser normal, com eventuais e esporadicas vezes esmirilhando, nem se preocupe com o cabo, até pq embora muiiiitiisssiiimo delicado, ele é muitíssimo duravel.

    Diferente do que muitas oficinas dizem, cabo de vela éo tipo de coisa que vc só troca se for algo realmente necessario, alias de preferencia nem rele nele...

    Pq trocar? Carro engasgando em alta rotacao (baixa rotacao vc pode olhar o sensor de rpm, marcha lente, tbi, corpo de borboletas, velas etc), ou quando as velas estiverem em bom estado, assim como os bicos de injecao e mesmo assim o carro perder compressao ou algum cilindro nao estiver funcionando, quando vc sentir o carro com alguma anomalia séria no uso (motor ora macio, ora aspero, motor numa boa esgasga, morre ou aumenta a rotacao absurdamente tentando compensa uma notoria falta de queima ou perda de potencia), um gasto abusivo de cumbustivel (e nao ser os bicos ou a vela ou a tbi ou td que eu ja falei acima)...

    Enfim, o cabo de vela é um ítem delicadíssimo (um simples dobrao pode quebrar os fios finissimos que la existam mas que continuam a transmitir o pulso devido estarem unidos ainda), nao deve ser molhado, torcido, apalpado etc... Tanto é que cabo de vela em oficina é complicado de achar ou quando acha tá lá ha muito tempo, possivelmente ja levaram pra td q eh lado ou colocaram alguma caixa em cima - pode ter certeza que caixa pesada ehehe - etc.

    Nao é pra menos que é um dos poucos cabos ou extensores dentro do motor que tem dupla ou tripla camada de borracha siliconada (bem macia), nao é preso por fitas ou aqueles torniquetes de plastico (esqueci o nome) nem por grampos ou qualquer coisa. pode perceber que os cabos nao ficam em contato com a lataria e sao colocados quase que separadamente de todo o motor, sao sao torcidos e seus cotovelos sao desobstruídos, com a curva bem aberta e sao presos por presilhas DE PLASTICO (pra nao conduzir nenhum fagulha a mais ou ter descarga eletrica) bastante frageis (justamente para nao quebrar e caso alguma coisa ocorra elas quebram facilmente para nao torcer os cabos).

    No entanto, embora delicadíssimas, sao muito muito resistentes, pois sua eletricidade é muito dicipada e muito controlada.

    No entanto se houve algum corte, algum brunimento, pancada, entrou agua, rachou, sei la o que, troque rapidamente, pois uma cabo ruim arruina a central eletronica(que trabalha totalmente fora dos padroes para tentar regular a perda que esta ocorrendo), corrompe todas as velas , corrompe em sequencia os outros cabos de vela irmaos, deixa combustivel nao queimado na camara de combustao (e os estragos disso vc sente só depois de muitos km lá na frente), entre tantos outros problemas.

    Enfim, relaxa, nao mecha nos teus cabos, deixa eles quietos lá, esqueca que existem, raramente precisam ser trocados, principalmente, se vc faz o minimo do minimo do minimo de manutencao e nao usa seu carro como eu usei o tal corsinha ehhehe

    Qualquer coisa fora disso, faca do mecanico te provar o contrario e mesmo assim, leve em mais uns 20 diferentes, pq a maioria vai querer trocar... Troque as velas isso sim, troque a cada 60 mil km se for um dono relaxado, com 50 se for preocupado, com 40 se nao te faltar $$ , com 30 mil se tiver $$ sobrando e com 20 mil km se for um neurotico.

    preocupe-se muito mais com a correia dentada pois se isso quebrar, reza pro teu mecanico te achar lindo e ser viado ... Pq a facada é gigantesca (uma quebra num mille vc gasta facil facil uns 2.500, num palio 3 mil, numa camionete senta e chora euaehauhe).

    Se o teu carro estiver bebendo muito, procure o mais obvio, vela, tbi, sensores gerais do motor, limpeza de bicos e se tiver muito ruim as valvulas (e se precisar ja limpar valvulas, manda desmontar o motor inteiro e fazer a limpeza quimica das pecas, vc nao tem ideia da quantidade de borra que o mais limpo dos motores irá expelir eheheh mas soh faca isso se for REALEMNTE MUITO NECESSARIO), sonda lambda, etc. Deixa o cabinho lá quietinho.

    Conversando com um conhecido preparador de motores para competicao e amante de mecanica (obvio) ele me disse que pra carros de competicao (entenda formulas, gt, rallye, coisa profissional mesmo) as vezes o consumo é algo muito importante por que pode decidir um campeonato, e uma das formulas de melhorar o consumo é fazer o polimento do escape do carro, desde o motor até a saída, em alguns casos perde-se torque mas ganha-se potencia e como carros de corrida precisam de mais potencia do que torque - estao sempre em alta rotacao e alta velocidade- , o polimento se faz necessario, em carros normais de rua, isso influencia pouco mas pode-se ganhar ou perder (varia muito do tipo de motor e do modo como ele despeja o conjunto de potencia e torque), foi quando perguntei dos cabos de velas ditos de competicao ou aqueles coloridos que vemos muito em carros preparados ele foi categórico: nao jogue dinheiro no ralo, cabo de vela exige muito, muito, muito estudo e muita, muita tecnologia para conseguir conciliar a central a vela e o motor funcionando perfeitamente, nao se engane, cabo é quase uma impressao digital, cada tipo de motor ou marca tem a sua ... usar um cabo universal é no mínimo desconsiderar qualquer trabalho da eletronica. Use os originais e de preferencia nao toque no que veio no carro ...

    Se a dica te valer, fica nos originais e nao arrume encrenca ehehhe

  4. #4
    Usuário Avatar de rogeriomasih
    Entrada
    28/03/2007
    Local
    Fortaleza/CE
    Idade
    40
    Posts
    2,064
    Citação Postado originalmente por Rogério Gama Ver Post
    Acho que a maneira mais simples de testar é borrifando uma solução de amônia sobre os cabos. Se surgirem centelhas ao longo da capa de isolação dos cabos é porque está com fuga de corrente e devem ser trocados. Abraço.
    tem alguma vantagem em isolar os cabos com, por exemplo, fita de auto fusão para alta voltagem?
    Samurai 97
    Fortaleza-CE

  5. #5
    Usuário Avatar de rogeriomasih
    Entrada
    28/03/2007
    Local
    Fortaleza/CE
    Idade
    40
    Posts
    2,064
    Citação Postado originalmente por Troller-a-vista Ver Post
    Se a dica te valer, fica nos originais e nao arrume encrenca ehehhe
    Obrigado pelo relato e pela dica.

    Abraços.
    Samurai 97
    Fortaleza-CE

  6. #6
    Usuário Avatar de Raposo
    Entrada
    07/03/2008
    RJ
    Idade
    54
    Posts
    1,309
    Obviamente que não é para Ranger 3.0, confere? Mas o melhor meio e o mais econômico é mesmo o teste com o ohmímetro. Tem tabela de resistência ôhmica para cada tipo de veículo (talvez até disponível na Internet). Discordo do relato do Troller quando diz que a troca dos cabos é algo raríssimo; ainda mais se o carro estiver com GNV. O consumo aumenta e o veículo perde rendimento. Minha sugestão é esta que você mesmo mencionou.
    Em tempo: se for carro a GNV, não esqueça de verificar velas e elemento do filtro de ar.
    Abraços.
    Natasha: Ranger CD, XLT, 4X4, 2001
    Maxxion HSD, 2.5, Euro II, 1 1/2 volta na BI, Pneus BF AT 31"

    Em breve: ENVELOPADA

  7. #7
    Usuário Avatar de Rogério Gama
    Entrada
    31/01/2008
    Local
    Campos dos Goytacazes/RJ
    Idade
    39
    Posts
    794
    Citação Postado originalmente por rogeriomasih Ver Post
    tem alguma vantagem em isolar os cabos com, por exemplo, fita de auto fusão para alta voltagem?
    Xará,

    Não sei se é a que estou pensando, mas se está se referindo a uma fita da 3M, deve funcionar sim em cabos com a capa já ressecada ou danificada, porém os cabos estando em boas condições já têm a isolação necessária.

    A opção de borrifar amônia que postei anteriormente é pra quem não tem um PROFISSIONAL competente para "tanto", entre aspas mesmo, pq é fácil ter uma oficina com instrumentos básicos como o ohmímetro, difícil é encontrar profissionais treinados para usá-los e donos de oficinas sérios e honestos.

    O importante é na hora da compra não deixar o vendedor escolher os cabos/velas pra vc. Eles costumam empurrar peças fora das especificações do fabricante, muitas vezes nem de má-fé, mas por ignorância mesmo. É sempre bom baixar o catálogo de peças no site do fabricante (Bosch, NGK, etc.) e chegar na autopeças com o código do produto exato para seu veículo. Isso quando o próprio manual não é claro.
    Ranger XLT TDI 4x4 CD 2001 - BFG 31" AT


Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
Topo