x
Convex Datacenter
Página 1 de 4 1234 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 12 de 47
  1. #1
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0

    Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile




    Olá companheiros do 4x4brasil, eu não poderia deixar de compartilhar a ultima viagem que fiz com minha familia.
    Gostaria de agradecer a ajuda que tive do pessoal do fórum, e em retribuição as informações adquiridas aqui, agora espero poder deixar alguma contribuição aos que pretendem fazer uma viagem aos mesmos lugares.
    Embora trabalhoso é um enorme prazer descrever os dias de viagem.
    Eu, minha esposa e nossa filha de 3anos e 11meses saimos da zona rural de Pelotas no Rio Grande do Sul no dia 24 de Fevereiro. Cruzamos o Uruguai até chegar a Argentina tendo como destino o Ushuaia. Retornamos passando pelo Chile.
    A viagem foi feita em uma Toyota SW4 ano 2013.
    Para esta viagem fiz uma divisória de MDF no porta malas, na parte inferior da divisória colocamos quatro caixa. Uma contendo itens obrigatórios por lei (cambão, colete refletivo, triangulos), algumas ferramentas e itens de emergência como fita adesiva e plastico. Uma caixa com itens para preparar refeições. Uma caixa com itens para comer em transito, como biscoitos e salgadinhos, e itens para preparar cafe. Na outra caixa havia kit primeiro socorros e caixa de medicamentos, e itens para preparar o leite da Sofia bem como caixas de leite.
    Na parte superior da divisoria ficaram nossas malas.
    Como em muitos carro os bancos traseiros da WS4 são dividos, retirei o banco com um assento e fiz uma " prateleira" para por um geladeira automotiva. Abaixo da geladeira foi um fogareiro de duas bocas, bujão P2, uma loga de 6x6m, varetas de carbono, panelas, pratos, uma bacia para limpar a louça, e cordas para amarrar a lona.
    Não especificamente para esta viagem, mas havia trocado os pneus originais por Michelins AT. No mais a viatura estava toda original.
    Fiz a revisão um dia antes da viagem, com isso voltei sem precisar fazer a revisão durante a viagem.
    Segue abaixo o "diário de bordo" feito ao final de cada dia.
    1º Dia

    Saimos da zona rural de Pelotas as 6:30hr como destino a Colonia do Sacramento, na entrada de Pelotas reabastecemos e calibramos os pneus.
    Até Jaguarão não seria na de novo na estrada.
    Paramos em Jaguarão para abastecer e comprar pesos Uruguaios, pagamos 1 Real/8,2Pesos.
    O que me chamou a atenção foi o custo, tudo muito caro frente ao Real.
    Almoçamos na estrada no Parador El Rancho. O assador deu uma requentada em um frango previamente assado, com batata frita, arroz, e ovo frito. Senti que minha esposa não curtiu, a pequena fez de conta que comeu, e eu tentei me alimentar...
    Uns 40min depois do almoço a Sofia ja pedia lanchinho. Bom, não falamos mas tambem queríamos. Paramos em Minas e compramos banana, pao, iogurte e salgadinho, essa brincadeira saiu uns R$170.
    A estrada é tranquila, fomos pela Ruta 8 até o contorno de Montivideo, e depois Ruta 1 até Colonia. Abasteci 500 Pesos em Montevideo só para manter o tanque mais agradevel a vista. No primeiro posto só tinha diesel S50, entao preferi no colocar.
    Pelo preço o plano era ficar no hotel Days In, mas achei que seria longe de tudo e preferi o Hotel Rivera. Não que o Rivera fosse ruim, mas é bem movimentado a rua e não tem garagem. O bom é que fomos a pé comprar o ticket do Buquebus, casa de cambio, e restaurante.
    Compramos o Buquebus para as 4:30hr a um custo aproximado de R$560, fiz uma conversão mandraque na hora e me pareceu mais vantagem pagar em Real.
    Comprei Pesos Argentinos a R$1 / 3,4.
    Jantamos na primeira pizzaria que encontramos e que parecia não muito cara.


    2º dia

    Saimos as 3:20hr do hotel.
    Seguimos o ritual ja descrito em outros relatos. Deixamos o carro, fizemos checking, imigração, onde gentilmente um senhor nos constrangeu a passar na frente da fila pois a Sofia dormia no meu colo.
    Na hora do embarque eu fui com a boiada, mas deveria ter ido para carro. Chegando no barco fui perguntar quando eu pegaria o carro. Me falaram que ja deveria estar no carro, me conduziram de volta até o acesso ao barco e desci no patio e logo peguei o carro.
    Assim que o barco moveu as luzes foram apagadas e nos também apagamos!
    Na chegada todos direto pro carro e fomos seguir o fluxo.
    Na saida pediram pra ver o porta malas, quando abri ja foram caindo algumas malas, fiz até uma brincadeira com o cara da fiscalização ... Ele pediu o documento do carro e perguntou se estava no meu nome. Como puxei a pasta dos documentos ja mostrei a Carta Verde, habilitação...
    Eu queria ir pela Ruta 3, mas meu GPS não. Logo fui para na Ruta 205, parecia uma rodovia de interior, mas com asfalto muito o bom e as tipicas longas retas. Mudei o trajeto para voltar a Ruta 3 pegando a 51, mesmo tipo de estrada. Atravessamos plantações gigantes.
    No inicio da Ruta 51 paramos em um YPF, e como o almoço do primeiro dia não tinha agradado fui para o plano B. Eu ja sabia que minha esposa não se agrada muito facil com comidas diferentes, então levei um fogão de duas bocas, lona, cordas, varetas de carbono, mesinha, cadeiras, e talheres. E claro, macarrão, carne pronta, temperos...Nunca acampei mas sei fazer armengues e gambiarras, improvisamos uma cobertura no porta malas e fizemos nos almoço, muito bom!
    Uma vez de volta da Ruta 3 olhei mais para o GPS do que para as placas e pronto, fui parar na Ruta 76 depois 51...mas chegamos em Bahia Blanca.
    Ficamos no hotel Martinique. É um aparte com uma cozinha basica, e a terceira cama era um sofa. A agua quente não funcionava muito bem, mas o hotel serviu bem. O grande problema dos hoteis não são os hoteis e sim a desvalorização do Real, acabam saindo caros comparados com hoteis bem melhores no Brasil.
    Fomos a pé até o centro onde minha esposa descobriu que gosta de Peceto, e iria sobreviver com ele!
    Deram duas fatias de pão de sanduíche por pessoa para café da manhã e tinha umas geleias. Ah, levamos cafe e açúcar! Enta o fizemos nosso cafe antes de partir.


    3º dia

    Saida de Bahia Blanca por volta de 8hr com destino a Puerto Madryn.
    A estrada flui bem, e mantive o olho no tanque mas nem perto de ser um problema a falta de postos.
    Paramos em Viedma para comprar algumas coisas no mercadinho e abastecer, na saida da cidade paramos num YPF para fazer o almoço, ja tinha um vento forte e frio. O lugar não era muito agradável a vista. Mais uma vez a cobertura improvisada e almoço feito, dessa vez com feijão!
    Seguindo viagem nas longas retas, e sem problemas.
    Na chegada em Pouerto Madryn tinha um vento muito forte! Abastecemos e fomos para o hotel Gran Madryn. Para a felicidade da Sofia tinha uma parquinho ao lado. Ja aproveitamos para levar as roupas na lavanderia (100 pesos por uma caixa ,tipo de feira, de roupas) ja que ficaríamos mais um dia por la.
    Jantamos numa pizzaria proximo ao hotel.


    4º dia


    Tinha pego um mapa e informações basicas da Península no dia anterior no hotel. E me fizeram a propaganda do legitimo cordeiro patagonico na Fazenda San Lorenzo.
    Na entrada da peninsula pagamos a taxa, atualmente 260 pesos por pessoa. Paramos no centro de informações e depois fomos a Punta Norte. Não gostei muito, os leões marinhos e focas ficam muito longe. Talvez com as baleias fique mais legal. Perguntei no local sobre o restaurante na tal fazenda e mais uma vez feedback muito positivo, comecei a animar! Entao fomos almoçar, o local estava vazio e estavam esperando um pessoal, o cordeiro ficaria pronto a 1hr, e eram 12hr. Após uma conversa, e uma falta de entendimento entre eu e a dona Maria resolvemos ficar nas entradas até o cordeiro que assava ao lado ficar pronto.
    Começamos a comer e disseram que ja estava pronto o cordeiro após um 25min, na verdade era um cordeiro "de ontem" que foi requentado e visualmente não muito agradavel e com partes poucos nobres, isso que não entendo nada de cordeiro!
    Resumindo, o lugar funciona por agendamento e pelo que percebi melhor com varias pessoas ou com um grupo, disposto a gastar, pois assim eles podem assar o cordeiro só para o grupo. Para nós foi só decepção.
    Partimo para Valdez onde ficamos bem perto dos pinguins, foi o que salvou o passeio. Depois fomos a Punta Piramides onde fizemos um lanche. Por fim conclui que deveriamos ter ido para Piramides primeiro, almoçado e feito o resto do passeio.
    Eu não dou muita bola para carro sujo, mas era tanta poeira que não aguentei, tive que passar um pano.
    As estradas da peninsula sao muito boas, mesmo as de terra.
    Depois de uma sensação de passeio frustrado fui levar a Sofia no parquinho mais uma vez e pegar a roupas na lavanderia.
    Fomos no Walmart comprar alguns mantimentos e mais garrfafões de agua para manter o estoque. Os restaurantes estavam cheios na maioria pois era domingo, e acabamos jantando proximo ao hotel e um restaurante na praia, parece um quioque, mas com estrutura de restaurante.
    Ficamos no Gran Madryn hotel ,muito bom. Até Puerto Madryn tinhamos hoteis ja reservados, então aproveitamos a internet do hotel para reservar o hotel de San Julian.
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia3.jpg  

  2. #2
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    5º Dia

    Saimos as 8hrs com um vento gelado.
    Na estrada a mesma paisagem..... Paramos a uns 150km antes de Rivadavia, montamos o acampamento e fizemos o almoço.
    Não sei se fiz certo mas passamos por dentro de Comodoro Rivadavia e Caleta Olivia, o que atrasa a viagem.
    Paisagem bem legal, mas não parar morar e ver todos os dias!
    Como sou petroleiro ver os campos de produção de Rivadavia foi bem legal!
    Chegamos em San Julian por volta de 21hr, ainda com sol. Acredito que por ser domingo as ruas estavam bem vazias.
    Ficamos hotel/pousada Drake, o hotel é bom, cafe da manha argentino bom, e boa internet. A noite ficamos com as chaves da entrada pois não tem ninguem após a meia noite. Estranho, mas não tivemos problemas.
    Fomos jantar proximo ao hotel por indicaçao da recepcionista.
    Marcamos hotel para Rio Gallegos e Ushuaia


    6º Dia

    Quase fomos espulsos da pousada porque ficamos até as 11hr.
    Fomos almoçar no mesmo restaurante da noite anterior. Se não me engano é Magda o nome.
    Saida após o almoço e tiro curto até Rio Gallegos, nem paramos pra abatecer.
    Fomos parados no posto policial da entrada da cidade, perguntaram se falavamos espanhol, ingles...fui no ingles que era ruim para nos dois. Só perguntou quantos nos eramos e para onde iamos.
    Ficamos no hotel Patagonia, um pouco acima da nossa media. Me assustei com os relatos dos hoteis mais em conta e resolvi ficar nesse. Muito bom!! Eu diria acima da media de planejamento para nossa viagem e com um bom bocado de luxo.
    Compramos algumas coisas na padaria pois sairiamos antes do café de manha, e escovas de dentes das moças que foram perdidas.
    Jantamos no restaurante do hotel.


    7º Dia

    Acordamos as 5hr, as malas ja estavam no carro.
    Não quis sair para abastecer no dia anterior para não perder a vaga na garagem do hotel, então primeira coisa abastecer. No posto proximo ao hotel não tinha Euro diesel, umas quadras na contra mão e chegamos na av. Sam Martin (sempre a principal) onde nos indicaram. Só não lembrei de pegar agua quente nem café...mas tinhamos os pães, pão de queijo (achei em Rio Gallegos) e uns croaçãs recehados que serviram de café da manhã.
    O objetivo era pegar a balça das 8;30hr.
    Ao sair não estava muito frio. Quando chegamos na aduana ela estava vazia, mas fui sozinho. Ao voltar para chamar as moças no carro ja estava um friozão! Até colocarem as roupas de frio a aduana encheu.
    Saida da Argentina e entrada no Chile feita. Claro, eu sempre com duvida no preenchimento da declaração. Eu declarei produtos vegetais e o cara perguntou o porque. Falei que tinha café.
    Na hora da revista tentei ser o maximo solicito, mostrei a geladeira com leite, ioguete, todinho, chocolate...e o porta malas, com pão, e tudo que levamos para cozinhar. Mas ele só queria saber de carne! Ai mostrei a carne desfiada de supermercado, ele disse que tava ok, mas perguntou se tinha carne, "carne de verdade", falei que não. Ai ele pediu para abrir uma das malas e depois fomos liberados.
    Seguindo viagem...mais uma vez olhei somente para o GPS, a nevegadora dormia e eu não tinha decorado o percurso.
    Acabei pegando a Ruta 257 enquanto todos que etasvam na aduana pegaram a Y-79. Acabei rodando bastante em um ripio esburacado, ainda mais que tinha chuvido na noite anterior. No primeiro carro que passei ja bateu uma pedrina no para-brisa e fez uma marca, menos mal que foi bem em baixo no lado do carona.
    Após o rally no ripio chegamos a aduana de saida do Chile, tramites rapidos. Pegamos um liquido marrom que eles vendiam como café. Até tentamos parar no restaurante após a aduana, mas se estava aberto não achamos a entreda.
    Para dar entrada na Argentina as moças ficaram no carro. E a resvista no carro foi basicamente verbal. E a partir daí fim do ripio.
    Passamos por Rio Grande tentando achar um restaurante, achamos uns lugares estranhos, e muitos fechados. Acabamos em um posto YPF comendo um pizza. E Ja completamos o combustivel.
    Faltando 120km para o Ushuaia um acidente feio na estrada parou o transito por 1,5hr.
    Até que enfim arvores e montanhas na paisagem!
    Chegamos na pousada Mirador Beagle as 18:00hr.


    8º Dia
    Dormimos até acordar, eu as 8hrs, a Mariana logo em seguida e a Sofia foi até as 9:30hr.
    Como ja tava de pé as 8:15hr fui tomar café sozinho, comi quase toda bandeja de mini croaçãs recheados. Café no padrão argentino mais completo e gostoso até aqui.
    Depois de prontos fomos até o centro trocar dinheiro, cotação muito boa, 1 / 3.8 pesos.
    Levamos roupas a lavanderia, 70 pesos por sacola.
    Por indicação do Cristian, proprietário da pousada, fomos no restaurante La Estancia. Segundo ele pagariamos um pouco mais mas seria garantido a qualidade. Mas chegando os garçons não mostraram a prestesa e simpatia recebidos até então. Porém na mesa ao lado só faltou sentarem no colo do pessoal, lógico, não queria que sentassem no meu colo! hauahuahua. Mas um tratamento solicito não ia mal.
    Eu pedi o buffet livre e minha esposa pediu um file com arroz. Enquanto a carne da Mariana estava sendo preparada eu esperi o legitimo cordeiro patagonico ficar pronto.
    Mais uma demostração de tratamento diferenciado. Todos que chegaram depois ja estavam servidos e comendo, e nós esperando. Claro, pode ser que o prato dela era mais demorado, mas não acedito....
    Ja instruido pelo Cristian da Pousada pedi paleta, o assador disse que não tinha. Isso que fui o primeiro a me servir! Me deu o que acho que era as costas, só a pele seca um pouquinho de carne. Fiz o que eu pude, e tentei catar a carne. Depois fui pedir um pedaço com mais carne, ai pensa num senhor ignorancia! O assador arrancou um pedaço do cordeiro que tava no fogo, picotou, jogou no prato e disse:- Paleta.
    Pela primeira vez na vida eu fui sincero quando o garçon perguntou se tinha me servido bem.
    Depois de ter 100% de certeza que não gosto de carne de cordeiro fomos para o parque Nacional, 100 Pesos por pessoa na entrada.
    Após 4339km chegamos ao final da Ruta 3, paradas pelo caminho para fotos.... Mais fotos no final da Ruta 3. Achei que era la o carteiro do fim do mundo que carimba os passaportes, mas não.
    Na volta do final da Ruta 3 passamos pelo primeiro carro de brasileiros, placa do Rio de Janeiro.
    Paramos no centro de informações Alakush, e por incrivel que pareça, não achei pra quem pedir informações! Perguntei para alguem que estava do lado de fora, acho que era guia de alguma escurção. Disse que a 400m em direção ao camping eles carimbavam. Fomos e nada...
    Fomos embora do parque sem carimbar os passaportes. E claro no caminho paramos em um parquinho para Sofia brincar. Ja aproveitei para fazer umas compras no super.
    O noite fomos convidados pelos donos da poudasa para jantar, uma tipo de risoto de Merlusa Negra. Eram nós e os outros ospedes...duas britanicas, um casal frances com o pai da moça. Depois de um vinho falavamos todos a mesma lingua.






    9º Dia
    O plano era ir até a lagoa Esmeralda, mas só de pensar em carregar a Sofia por 1,5hr minha coluna ja doia.
    Apos o jantar do dia anterior resolvemos dormir ate acordar. O dia amanheceu com vento forte e alguns pingos de chuva, tudo que precisavamos para desistir do passeio a Lagoa Esmeralda.
    Fomos almoçar no Tia Elvira, por indicação do Cristian da pousa, eu pedia Centolla ao parmesão e a Mariana Truta grelha. Eu diria que estava bom, mas nada de mais. Como porsão de camarão a milanesa na praia, se não por pimenta não tem sabor de nada, assim era a centola.
    A tarde formos comprar adevisos do Ushuaia e demais quinquilharias para lembrança, e claro, levar a Sofia ao parquinho. Dessa vez fomos no carrocel da praça.
    A noite fizemos uma janta na pousada mesmo.


    10º Dia

    Saimos as 6hr em ponto da pousa, ainda estava escuro e chovendo um pouco. Temperatura de 6 C. Ao logo do dia o céu foi abrindo. O Cristian da pousada me passou um roteiro indo pela Ruta 255 de volta para o Norte até San Gregorio e depois pegar uma estrada ripio até quase Natales.
    Estava com 3/4 de tanque e, Rio Grande e não quis entrar na cidade para abastecer achando que poderia abastecer em San Sebastiam. Chegando em San Sebastiam não tinha S10 e nem diesel comum!
    Na aduana joguei fora umas bananas e maçãs que não comemos. Mas marquei que tinha itens declaráveis, ao ser perguntado falei do café e doce de leite. Mas tinhamos comprado semente de flor no Ushuaia, e sabia que não podia e falai pra dona Maria que não dava para levar. Ela disse que colocaria na bolsa de mão e tal...só que não, ficou na sacola com as comidas de durante a viagem. Logico que foi o primeiro lugar que olharam! A fiscal perguntou se tinha declarado, eu respondi que sim por causa do cafe, mas que não sabia que aquilo não podia, mas que logicamente era vegetal. Mostrei o restante como sempre. Ela pediu meu nome e numero do meu passaporte e disse que podia ir. Não entendi, mas se era para ir não me demorei! Alguem sabe se devo esperar alguma coisa? Estou em alguma lista negra?
    Ao chegar no ferry um barco ja se aproximava, mas levou apenas caminhôes. Ficamos esperando quase 1 hr, e pegamos o segundo ao custo de 420 Pesos. Acabamos almoçando um lanche no restaurante do lado do continente do ferry. Bem bom e com preço bom.
    Como acabei não abastecendo, e o consumo naquelas estradas é um pouco maior resolvi seguir meu plano inicial, pegar a Ruta 255 sentido Punta Arenas. Acho que me escapei de uma furada. Com um olho no combustível e outro na estrada partimos, o plano era abastecer após 50 km na Ruta 255 num posto Copec, mas ao chegar naquele "posto" a bomba estava ligada mas não havia niguem. Como sabia que tinha outro posto proximo ao trevo para Puerto Natales não me importei muito e seguimos.
    No posto do trevo tinha diesel, foi a primeira vez que abasteci com diesel comum. Acho que foi uma boa hora para testar, pois caso desse problema teria Ponta Arenas e Purto Natales para socorro, agora se deixasse para testar na Carretera e dessa algum problema acredito que seria muito pior.
    Nesse mesmo posto tinha um turco de moto, esperando chegar o caminhão com gasolina ja faziam 4 horas. Detalhe, não falava inglês nem espanhol!
    Perguntei para o dono do posto que horas chegaria a gasolina, ele disse que estava previsto para o dia, mas não poderia dar certeza que viria pois ja eram 16hr.
    Perguntei (não sei nem como, mas nos entendemos) se ele queria agua, comida, suco, chocolate, cerveja...por fim perguntei se ele tinha dinheiro. Ele puxo um monte de Euros, Dolares, Peso Argentinos. Perguntei se tinha pesos do Chile e ele disse que não. Eu não conseguia raciocinar como converter para chilenos por nada, quis deixar o dinheiro com ele mas não aceitou. Então deixei o que gastei para encher o meu tanque e ele me deu o que gastava para encher o meu tanque em argentinos. Nisso veio uma ovelha se coçar nele, ele saiu da volta da ovelha, então a ovelha foi se coçar na moto dele e derrubou a moto! Menos mau que não estragou nada.
    Por fim o dono do posto tirou gasolina do proprio carro e deu pra ele.
    Seguindo viagem chegamos em Puerto Natales por volta das 18hr, ainda olhamos algumas lojas e fomos no supermercado onde encontramos um casal de brasileiros.
    Ficamos na pousada Cabañas Patagonia Insuto, bom para quem quer auto suficiência e não quer ser servido. São casinhas com banheiro, cozinha e sala em baixo e dois quartos em cima. Bem no centro, e com estacionamento cobrado a parte.
    Jantamos o que tinhamos deixado pre pronto para o almoço mas não conseguimos preparar, tudo acompanhado de um vinho baraticimo...
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia5.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia6.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia7.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia-10.jpg  

  3. #3
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    11º Dia
    Dormimos até acordar, arrumamos as malas no carro. O dono da pousada disse que poderia deixar o carro até mais tarde, e assim fizemos.
    Fomos a pé até o centro de infomações onde peguei um mapa do parque Torres Del Paine e algumas informaçoes. Logo ao lado a Sofia brincou um pouco no parque, quase decolando de tanto vento.
    Almoçamos no Picadas do Carlitos, um nome que não tem nenhum significado literal em portugues mas uma conotação bem estranha... Eu pedi um bife de choriço e a Mariana um Lomo, muito bom! Um bifão gigante e bem macio.
    Fomos para hostelaria ou pousada, não lembro, Kaluve. Tava o filho do dono na recepção, meio estranho. Mas a noite o dono chegou e conversamos bastante, ele conhece bastante o parque. E tambem me deu uma opção de trageto para a Argentina fugindo da aduana movimentada.
    Fizemos o jantar na pousada mesmo e ja deixamos algo no gatilho para o dia seguinte.


    12º Dia

    Acordamos 7:45hr, as 8hr fui tomar café, bem simples, mas pela primeira vez comi ovo no cafe da manha na viagem.
    A Sofia não queria levantar por nada, então as 9;30hr ela foi dormir no carro.
    Após alugmas duvidas e alguns retonos feitos acertamos o caminho, olhamdo para o mapa não fiz o que queria mas deu certo. Passamos pela cova do Millon, mas não paramos.
    Nossa primeira parada foi em um mirado antes da entrada do parque. Tinha outro carro com umas quarto senhoras, logo que paramos elas sairam, e quando fomos ver tinham deixado uma passageira para traz! Perguntei de onde ela era para começar uma conversa e ela disse que eles vinham da Argentina. Bom, tudo explicado.... Voltaram logo para pegar ela.
    Pagamos a entrada, 22500 Pesos se não me engano, a Sofia não pagou. Ainda em duvida quanto ao caminho chegamos onde queriamos
    Fomos primeiro a parte Sul, lago Grey onde pudemos ver algus pedaços de gelo despendidos, muito legal. Tinha um casal de noruegueses que havia viajado pela Africa com seu motorhome e agora estava percorrendo a America do Sul, gastei um tempo conversando com eles.
    Depois fomos para o Camping onde ja nos achegamos numa mesa com um telhadinho e fomos usando. Quando ja estavamos quase indo embora foi um funcionario dizer que era privado e tinha que pagar para usar, 5000 Pesos por dia, como ficamos soh a tarde 2500 Pesos.
    Quando chegamos tinha uns tatus rondando, mas após 2min tinham três tatus que nem praga ao nosso redor e não tinha o que espantasse eles! E uns gaviões meio sinistros. No mais mais fui muito util o camping, tinham pias com agua quente para lavar as louças e banheiros. Ja lavamos a geladeira que não estava com um cheiro muito bom.
    Depois só fiz o check in e peguei a chave no hotel Pehue, e fomos para a parte Norte. Fomos até as quedas do rio Pehue.
    O ruim é que fizemos o percurso ao contrario, sempre pegamos o sol por traz das montanhas e não dava para ver muito bem, sem contar que tinha uma nevoa ao redor das montanhas. Mas em todos locais disseram que era um dia atipo. E realmente estava quente, após o meio dia não tinha uma nuvem no céu e pouquissimo vento.
    Fomos então para o hotel, jantar e dormir cedo.


    13º Dia

    O plano era voltar a parte Norte do Parque e depois ir novamente ao Lago Grey e fazer a volta na ilha a pé. Porém ainda na cama ja ouvimos barulho de chuva... O tempo estava fechado e com alguns pingos, então voltamos para cama e depois decidimos ir embora. Só lembrei do que o dono da pousada havia dito;- se esta bom o tempo aproveite para ver o maximo que puder porque no dia seguinte talvez não de.
    Na central de informações de Puerto Natales disseram que era melhor não tentar ir do Parque até El Calafate sem abastecer, e com isso a unica opção seria voltar a Natales. Conversei com o dono da pusada tambem, ele disse que tinha um posto, mas a alguns dias atras estava sem combustivel. Ah, em Natales não tinha diesel S10... O dono da pousada havia dado uma opção de sair por Dorotea, onde os tramites alfandegarios seriam muito mais rapidos porque ha bem menos fluxo de turistas.
    Então fizemos isso, saindo do parque abastecemos em Natales, mais uma vez almoçamos na Picada do Carlitos. Partimo em direção a Punta Arenas e logo entramos a esquerda para Dorotea, saida rapida do Chile. Seguimos em diração a Punta Uno, aduana bem caidinha a da Argentina. Joguei umas bananas fora achando que ia revistar, que nada. Se bem que comer elas nós não iriamos... Depois seguimos em direção a 28 de Novembro, mas antes de 28 de Novembro pegamos a estrada para Esperanza.
    No mapa havia uma estrada de ripio e perguntei para o dono da pousada se era viavel, ele disse que economisaria uns 70km, mas o ultimo relato é que não estava boa. Então quando vi a placa indicando El Calafate e El Chalten pelo ripio não resiti, voltei em peguei ela. Bem nesse cruzamento tem um posto, uma cominhete estava abastecendo, então creio que havia combustivel.
    Os primeiros 20km estavam bem ruins, pedras muito grandes, não dava para rodar acima de 50km porque parecia que ia desmontar a caminhote. Os ultimos 225km ja foram bem melhores. Pessei por um carro pequeno, deu pena, quicava quem nem pipoca. Passei por ele bem mais rapido que ele, até porque ele estava quase parado. E ele passou para o meu trilho achando que o que fazia eu andar mais rapido era o caminho da estrada que peguei.
    Depois de chaqualhar no ripio voltamos ao tapete da Ruta 40. Rapidamente ja estavamos chegando em El Calafate. No posto da policia na entrada da cidade tem uma placa de pare, e tinha um carro parado com um policial na volta, fui fazendo feição de parar e me mandaram seguir...
    Fomos diretamente para o hotel que tinhamos reservado, Hotel Terrazas, a Sofia ficou doida quando viu o tamanho da banheira. Hotel bom,mas logico, com o preço compativel.
    A conclusão sobre o trecho de estrada foi. Estavamso 3/4 de tanque no Parque, daria para ir mais que tranquilo até El Calafate!
    No hotel reservei o passeio de barco por 100 dolares por adulto. Queriamos fazer a caminhada curta pelo Glacial, mas pela idade a Sofia não pode.
    Fomos jantar no centro, se não me engano era São Pedro o nome. A comida não era cara, mas as cervejas que tomamos eram!


    14º Dia
    O plano era acordar tarde, levar roupas para lavar, almoçar, e ir para o Glacial Perito Moreno e se desse fazer o passeio de barco.
    Acordei mais cedo como de costume...Fui tamor o cafe da manha. Cafe bom eu diria, sem nada de especial, mas bom. Fui tentar ver os emails pois a internet do hotel não é muito boa.
    Logo mais fiquei com a Sofia enquanto a Mariana tomava café...saimos para deixar as roupas na lavanderia, aqui era por peso (peso massa,) mas deu a mesma media de valor dos outros lugares.
    Passamos no supermercado para pegar um lanche para o dia seguinte, então ao passar na seção das carnes a Mariana ja deu um suspiro e mesnionou uma grande vontade de fazer o almoço. Não era realmente uma grande vontade de fazer comida, mas sim uma pouquissima vontade de comer as comidas de restaurante. Perguntei para uma mulher, alguma supervisora dos caixas, se tinha camping no parque e ela disse que sim. Ja compramos mais coisas para o almoço e pronto!
    Na saida do supermercado tinha um papelzinho no para brisa, como tinho um senhor vestido roupa de cuidador fui ver com ele, tinha que pagar 4 pesos. E apos pagar poderia jogar o papel fora. Então se eu não pagasse acho que não daria em nada...
    Fomos até o parque, 200 Pesos por adulto. O Camping ficava a 3km da entrada as margens do lago Argentino. Tem uma especie de vigia no local, banheiros, e pia para lavar louças. Soh tivemos que por a lona porque tinha um pouco de vento e apagava o fogo.
    Apos o almoço seguimos o passeio, paradas para as fotos... e chegamos. Tinha lido que era melhor pegar o onibus e desser a pé, mas na hora deu um curto circuito cerebral e ja saimos caminhando ao meu comando. Acabamos subindo todas as escadas com a Sofia nos ombros.
    Foi bem legal porque uma parte do lago estava com o nivel mais alto que o outro, o que formou uma grande correnteza na parte que fazia uma especie de dique no lago, e varios pedaços de gelo estavam caindo a todo momento. Porém esse mesmo fenomeno fez parar a navegação.
    Voltamos do passeio e a Sofia dormiu, mas como ela tava contando os minutos para ir no parquinho levei a Mariana para hotel e esperei ela acordar no estacionamento do parquinho. Brincamos uns 5min e ela quer ir embora.
    Pegamos as roupas na lavanderia, passamos no supermercado e fomos jantar.


    15º Dia
    Acordamos cedo pois tinhamos que estar no porto de Punta Bandeira as 8;30hr.
    Foi o dia em que pegamos a menor temperatura, 1ºC.
    Ao chegar no porto ja havia bastante gente, e com a Sofia semi dormindo no colo não podiamos nos deslacar muito rapido. Conclusão, acabamos nas poltronas do meio! Mas nos momentos interessantes todos iam para fora, então podiamos ir para janela tirar fotos... mas tambem fomos para fora, muitas vezes.
    Sobre o passeio não tenho muito o que dizer. Vimos dois glaciais e ficamos ao lado de um iceberg bem legal, mas esse tempo ao lado do iceberg foi principalmente para os fotogros do passeio ganharem o deles. Eu acho que o passeio de parco no glacial perito moreno teria um custo beneficio bem melhor! Esse passeio em 5 horas passamos por apenas dois glaciais. E ficar 5horas na embarcação, sem almoço proprio é meio desgastante. Só para constar, eu trabalho embarcado e fico 14 dias em um navio, então não são as 5 horas que cansam, mas sim não ter o que fazer.... Hoje preferiria ir duas vezes ao glacial Perito Moreno a ir nesse passeio de barco.
    Na volta fomos em algumas lojas, e depois para o hotel. Dei uma arrumada no porta malas...
    A noite fomos jantar e estacionei ao lado de um parquinho, ai pronto, depois do jantar levamos a Sofia rapidão para brincar porque estava frio e ventando.


    16º Dia

    Saimos as 9;30hr do hotel e ainda fomos abastecer antes de seguir para El Chalten.
    Ja ao longe observavamos que o tempo em El Chalten estaria fechado, embora no caminho havia sol. Muito vento e muitos ciclistas na estrada.
    Ao chegar passamos no hotel para conferir a reserva, e ja pegamos indicação de restaurantes. Almoçamos no Dom Guerra, muito bom.
    O plano era fazer um passeio no carro mesmo, mas como a Mariana enxeu a barriga em sua melhor refeição até o momento e o tempo estava meio feio ela caiu na cama e dormiu. Eu tentei ficar acordado brincando com a Sofia.
    O tempo melhorou e fomos mais uma vez procurar uma calça de trecking pra mim. Após uma caminhada pelo local e a um "cafe" voltamos com chuva e vento para o hotel, e sem calça de trecking.
    Depois jantamos no La Tratoria, ao lado do hotel.
    Não sei se é porque o lugar é pequeno, mas aqui se persebe muito gente de fora, a todo momento tem alguem com uma mega mochila, ou bike equipada. Aqui conversamos com mais um casal de brasileiros.
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia12.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia13.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia16.jpg  

  4. #4
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    17º Dia

    Saimos por volta de 9hr do hotel.
    Parecia que o posto de combustivel estava fechado, eu ja estava indo embora qunado um carrro entrou. Voltei e abasteci.
    Nas minas anotações a distancia ate Perito Moreno era de 720km, o que consigo fazer com um tanque, mas o cara do posto falou em 800 e alguma coisa, com 70km de ripio. Mas em Gobernador Gregores certamente teria combustivel.
    Ja na saida de El Chalten meu GPS mostrou-se confuso, e assim foi o dia todo. Ficamos um pouco confusos também.
    Tanto o meu guia de viagem feito em casa quanto o mapa do Chile que comprei mostravam a Ruta 40 passando ao lado de Gobernador Gregores, e estava com receio de não ver a entrada da cidade e passar direto. Mesmo nos orientando pela tela do GPS e comparando com o mapa nada fazia sentido. Por fim a conclusão que cheguei é que não tinha como não passar por Gobernador Gregores.
    Os primeiros quilometros o ripio não era muito bons, depois altenava entre regular e bom.
    Chegando em Gobernador Gregores fomos no centro de informações e a atendente nos deu uma mapa que mostrava que a ruta 40 passava dentro da cidade. Ja pegamos orientaçao de onde almoçar. Comemos num restaurante chamado Rio alguma coisa...bastante comida e bom preço, mas sem frescura.
    Passamos por Bajo Caracoles na tentativa de achar um lugar para um café, mas o lugar é mais ermo do que pessava. Gostaria de conversar com um nativo para ter uma melhor impressação do lugar, porque parece um povoado que foi abandonado após um teste ou esperiemento, como em filme.
    Nas proximidades encontramos um caravana de três carros do Brasil.
    Chegamos a Perito Morenos por volta de 17:30hr, e ficamos no hotel Kelman. O hotel era limpo e bem arrumado, mas o pessoal parecia meio desconfiado. Parecia que estavam pensando que iamos aprontar alguma coisa.
    Levei Sofia no parquinho...
    Jantamos no restaurante do hotel mesmo.


    18º Dia

    Queria sair bem cedo e quem sabe ir ate Coyhaique. Mas depois decidimos tentar ir nas Capelas de Marmore de Rio Tranquilo. Mesmo assim o plano era sair cedo.
    Ao ir abastecer no dia anterior frentista disse que o passo abria somente as 8hr, então o plano foi sair as 7hr, por fim saimos as 8:45hr.
    Logo na saida ja fiquei decepcionado, era para ter pernoitado em Los Antiguos ou Chile Chico, cidades muito mais arrumadas e parece que mais dispostas a receber turistas! E se ficasse em Chile Chico ja adiantava a passagem na aduana.
    A aduana argentina de Los Antiguos foi a mais demorada até então, e o mesmo para a chilena de Chile Chico, onde eles realmente revistam todo o carro! E tem que levar as malas para o raio-x. A papelada é preenchida por nós mesmo, diferente das outras aduanas onde só se assina.
    Quando finalmente pegamos a estrada vimos que valeu a pena ir por ali! Muito legal!!! Pegamos a Ruta 265 até a Ruta 7.
    Perguntamos onde almoçar em Puerto Guadal, e nos disseram ao lado do supermercado, só que achamos um em frente ao supermercado achando que era o dito...nesse que paramos nos ofereceram frango ou bife. Ficamos no bife. Entao ela foi no açougue do lago e pegou a carne enquanto a outra descascou as batatas. Tava bom...
    Na hora de ir ambora percebemos que havia outro supermercado e outro restaurante, bem mais bonito e com umas vans estacionadas.
    Chegamos em Puerto Rio Tranquilo as 3hr, fui no posto perguntar por hoteis. A resposta que eu esperava era a mesma de sempre, os mais caros e melhores são esses e os mais em conta são aqueles...mas dessa vez estava o dono de uma pousada catando turistas e cai na dele. Eh o dono do cafe Musetti, logo na chegada, ou saida, dependendo de onde se vem. As "cabanas" são bem caidas, e acredito que pelo valor conseguiriamos o hostel na outra entrada, que pelo menos de fora parece bem melhor. Mas ao cair do dia e vendo quantos carros passavam devagar procurando um lugar para dormir me senti bem melhor por estar onde estava.
    Parece que tinha um povo do Brasil dormindo no vilarejo, com caminhonetes adesivadas com o emblema Expedição Carretera Austral.
    O mesmo dono ja nos agendou o passeio nas catedrais de marmore, para as 4hr, mas que acabou saindo quase 5hr... Dada as circustancias, e a estarmos no meio do nada, o passeio foi legal. Ja que se esta aqui vale a pena, mas não iria a um lugar muito distante para ver elas. O passeio teve uma duração total de 1:20hr, foi o suficiente.
    Fomos ao mercadinho e compramos ovo e bife de hamburguer para completar com feijão e arroz, com isso sobrou apenas mais um feijao.


    19º Dia

    Saimos de Puerto Rio Tranquilo as 5:50hr, uma pena perder a paisagem por causa da escuridão mas tinhamos que andar. O plano era ir no minimo até Futaulefu.
    O bom foi que pegamos a parte da Ruta 7 em obras ainda com as maquinas paradas, mas no final ja havia muitos caminhões. Ainda pegamos dois pare-siga, mas bem rapidos. Isso tudo em um Domingo.
    Abasteci em Coyhaique, e na saida acabei pegando o trecho pavimentado em direção a Puerto Aisen. Não sei se seria o melhor, mas queria ter pego o trecho mais curto de ripio.
    Ja chegando em Maniguales fomos procurar um lugar para almoçar e não encontramos nada aberto! Só café. Até o posto Copec estava fechado. Ajudei um casal de holandeses que queria abastecer mas não falava espanhol. Basicamente o frentista deu um perdido e não foi trabalhar. Agora põe uns porcentos de erro em eu ter entendido isso em espanhol, ter falado em ingles e um casal de holandeses entenderem... Bom, eles estavam felizes.
    Enfim, voltamos ao primeiro restaurante na entrada da cidade, eles propuseram fazer umas batatas com carne, mas como eles pareciam que não estavam prontos para fazer comida achamos que iria demorar muito. Compramos apenas duas empanadas.
    Ao sair da cidade parei no primeiro lugar seguro que encontrei, e bem sujo por sinal, era para ter rodado um pouco mais e encontraria varios locais a beira dos lagos. Apenas esquentei um ravioles enlatado que tinha pego em algum supermercado ao longo da viagem. Foi dificil decidir o que era pior, o ravioles ou a empanada.
    Com alguma coisa no estomago seguimos em frente. La pela hora do cafe da tarde paramos em Puyuhuapi, lugar estranho! Tudo fechado, até os cafés! Muitas placas oferecendo lugar para dormir, mas o incrivel que tudo fechado, até parecia uma cidade fantasma, isso em um domingo de sol. Fomos até o posto Copec para dar uma completada no tanque, mas não tinham diesel.
    Seguindo abastecemos La Junta e compramos uns salgadinhos. Um pouco mais a frente deixamos a Ruta 7 e pegamos a CH 235 em direção a Futaulefu com estrada ja bem pior do que os trechos de ripio da Ruta 7.
    Chegamos em Futaleufu por volta de 17;30hr, e decidimos passar a fronteira para ja pular essa etapa de uma vez.
    O bom que mesmo com ripio a Sofia dormiu um tempão.
    Chegamos em Esquel por volta de 19hr, o plano era conseguir a internet em um YPF e escolher um hotel. Ao seguir a orientação do GPS para o posto não achamos, mas achamos alguns hoteis. Ficamos no Terruelche, bonzinho...Até porque estavamos mortos e não queriamos muita coisa.
    Jantamos no hotel mesmo.
    Foi um dia dificil, muito tempo no carro, estrada esburacada, comida ruim.


    20º Dia

    Saimos as 8:30hr com destino Barilhoche. Na saida de Esquel a Ruta 40 está bem ruim, depois melhora, mas ainda apresenta trechos ruins.
    Bariloche seria o unico lugar que ja haviamos estado, mas em 2007, e la se vão quase 10 anos...era melhor ter ficado com as antigas lembranças. Como a outra vez não fomos de carro nosso "campo de visão" era bem menor, e o transito do centro com a dificuldade de estacionar não foi nem conhecido.
    Chegamos e fomos para o hotel Catalonia Spa, muito bom! Nos indicaram almoçar na cervejaria Kunstman. Eu que não bebo muita cerveja fui me aventurar, pra que? Me deu uma dor de cabeça e mal estar violento, mas pode ter sido por causa da batata do salmão tambem... Depois de me recuperar ja no fim da tarde fomos no parquinho para a Sofia brincar, e levar roupas para lavar.
    Como o apto tem cozinha fizemos nosso jantar.


    21º Dia
    Dormimos até acordar, depois fomos no centro gastar a grana que ainda tinhamos para a viagem, principalmente comprando roupas de inverno.
    Depois almoçamos na Parrilla Le Boliche, muito bom!
    A tarde fomos no cerro Otto, na volta o teleferico parou por uns 5 minutos, que pareceram 5 horas! Mas segundo os operadores tudo normal, foi planejado.
    Depois pegamos as roupas na lavanderia, passamos no super para pegar coisas para fazer o jantar e mais mantimentos para a viagem.
    Arrumamos as malas, depois fui aproveitar a piscina com a Sofia ja que não iriamos para o parquinho.
    O plano inicial era fazer mais passeios em Bariloche, mas ja estavamos em clima de fim de viagem.


    22º Dia

    Saimos as 5:50hr de Bariloche no planejamento estava como destino Santa Rosa, mas iriamos dirigir ao onde desse.
    Na sainda de Bariloche a estrada ainda tem muitas curvas, então não rendeu muito, ainda mais que tava escuro.
    A uns 50km de Nequen tinha uma barreira policial, fui parado e pediram documento do carro, carta verde e habilitação. Anotaram tudo, devolveram e desejaram uma boa viagem. Mas estavam parando todos os carros, não que eu tenha sido premiado.
    Depois passando por Neuquen tambem perdemos um tempinho, la o transito não andava. Acho que poderiamos ter passado "por fora da cidade"...
    Logo apos Neuquen está Cinco Saltos, onde paramos em um posto para fazer nosso almoço.
    Siguindo viagem abastecemos em um posto Petrobras e partimos para atravessar a estrada do deserto, bem similar a Ruta 3.
    Ja chegando em Santa Rosa a vegetação começa a mudar e arvores parecem, o verde volta a paisagem.
    Por fim acabamos seguindo o plano e dormimos em Santa Rosa, ficamos no hotel Calfulcurá. Chegamos as 17:30hr, tentamos jantar cedo mas nada servia antes das 20hr, então fomos até a praça central e levamos a Sofia no parquinho.
    Comemos uma pizza com ovo frito em cima, e voltamos para o hotel.


    23º Dia

    Saimos as 8hr de Santa Rosa tentando chegar no minimo ate Colon.
    O Ruta 0 sugeria ir pela Ruta 5 até o encontro com a Ruta 7, e então ir sentido Norte até Cólon. Mas logo no inico o transito na Ruta 5 não fluia, muitos caminhões na pista e as ultrapassagens estavam demorando muito. Então resolvi seguir o meu GPS e peguei a Ruta 33, ai não somente tinha caminhões como toda sorte de máquinas agricolas!! O asfalto variava entre regular com trechos ruins.
    Muitas barreiras policias na pista, mas nenhuma nos parou.
    Entramos em Victoria para abastecer e fazer um lanche.
    Pela pesquisa feita no booking no posto de combustivel em Victoria o plano era ficar no Brisa del Lagos Apartamentos, mas não consegui reservar, acho que a internet era muita ruim... Chegamos em Colon as 20:30hr e fomos em direção do Brisa del Lagos, mas chegando la não tinha mais ninguem na recepção, apenas um numero de telefone. Então fomos para a lista do GPS e acabamos ficando no Hosteria Vista del Rio, bem simples.
    Jantamos em um restaurante ao lado do hostel. Eles não pegavam notas altas de dolar, e o meu cartão não funcionou. Com isso gastei os pesos que pagaria o hostel.


    24º Dia

    Acordei as 7hr e parti para trocar dinheiro. As 8:15hr eu estava de volta com o dinheiro trocado.
    O tempo estava feio, e foi só entrar no carro para a chuva desabar.
    Ao passar na poste internacional tem um pedagio de 130 pesos argentinos, ainda bem que deixei uma reserva de emergencia, mas aceitavam pesos uruguiaios tambem.
    A estrada logo na entrada do Uruguai era boa, e pedagiada. Mas logo pegamos outra estrada que estava muito mal consevada, algum trechos ate sem asfalto. No geral variava entre ruim e pessimo, ja chegando na fronteira com o Brasil a estrada ficou boa.
    Nesse dia comenos um cup nuddles com agua aquecida no aquecedor de agua automotivo que adquirimos em Puerto Natales. Demora mas esquenta.
    Paramos nos free shops de Rio Branco para comprar algumas quinquilharias como de costume, fizemos um lanche em Jaguarão e fomos para casa.
    E após 10756,4km estavamos de volta em casa.


    A viagem foi muito inspiradora.
    O lugar que mais nos impressionou foi o glacial Perito Moreno.
    A cidade do Ushuaia não me pareceu nada de mais, bem como o percurso até la foi bem tranquilo. Mas me fez pensar como era dificil no tempo em que não haviam postos YPF com internet a cada 300km, e tinha que levar combustivel extra. Não haviam hospedagem nas cidades as margens, não havia socorro caso desse pane no veiculo, a estrada era de rípio....como deve ter sido dificil!
    Hoje para se chegar ao Ushuaia basta ter tempo, dinheiro e disposição. Mas atigamente creio que era um defio de vida.
    Trafegar pela Ruta 7 no Chile foi um pouco mais trabalhoso, até porque tem muito rípio e as cidades proximas parecem ser menos desenvolvidas que as que ficamos proximas a Ruta 3 na Argentina. Mas o sentimento é o mesmo, como deve ter sido dificil viajar por essa estrada antigamente.
    Ao final estavamos muitos cansados, com muita vontade de voltar para casa, mas muito felizes por ter completado nosso desafio e ter passado por lugares fantasticos.


    Em breve espero estar postando algumas fotos.
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia17.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia19.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia18.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia20.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia22.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia23.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-mapa-dia24.jpg  

  5. #5
    Usuário Avatar de Sonhador
    Entrada
    15/07/2012
    Local
    Santos/SP
    Posts
    926
    Agradecimentos: 11
    faltou as fotos !!!
    mas os mapas e relatos estão otimos
    EX .Toyota Hilux Sw4 97 "Ambulância"

  6. #6
    Usuário Avatar de Thiago Pereira
    Entrada
    23/12/2004
    Local
    São Paulo/SP
    Idade
    35
    Posts
    2,174
    Agradecimentos: 17
    Excelente relato!!!

    Fico aguardando as fotos também! Rs

    E apenas uma correção, todo diesel no Chile é S15.
    Países que conseguiram evoluir um pouquinho mais não tem essa palhaçada de vários tipos de diesel.
    Abraço,
    Thiago
    Mudar de ideia é prerrogativa de quem pensa!

  7. #7
    Usuário Avatar de sandro_ventania
    Entrada
    24/01/2012
    Local
    Rio das Ostras/RJ
    Idade
    47
    Posts
    1,874
    Agradecimentos: 34
    Parabéns pela viagem! Tudo que se vive em uma viagem como essa, fica para o resto da vida. São experiencias únicas!!
    "Numa viagem de carro, mais importante que o destino, é aproveitar ao máximo tudo que há de bom no caminho."
    Toyota Hillux SW4 93...Matilde.

  8. #8
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    Apanhando para colocar as fotos da melhor maneira possivel, não tenho autorização para editar o topico.
    Citação Postado originalmente por Subsea Ver Post

    Olá companheiros do 4x4brasil, eu não poderia deixar de compartilhar a ultima viagem que fiz com minha familia.
    Gostaria de agradecer a ajuda que tive do pessoal do fórum, e em retribuição as informações adquiridas aqui, agora espero poder deixar alguma contribuição aos que pretendem fazer uma viagem aos mesmos lugares.
    Embora trabalhoso é um enorme prazer descrever os dias de viagem.
    Eu, minha esposa e nossa filha de 3anos e 11meses saimos da zona rural de Pelotas no Rio Grande do Sul no dia 24 de Fevereiro. Cruzamos o Uruguai até chegar a Argentina tendo como destino o Ushuaia. Retornamos passando pelo Chile.
    A viagem foi feita em uma Toyota SW4 ano 2013.
    Para esta viagem fiz uma divisória de MDF no porta malas, na parte inferior da divisória colocamos quatro caixa. Uma contendo itens obrigatórios por lei (cambão, colete refletivo, triangulos), algumas ferramentas e itens de emergência como fita adesiva e plastico. Uma caixa com itens para preparar refeições. Uma caixa com itens para comer em transito, como biscoitos e salgadinhos, e itens para preparar cafe. Na outra caixa havia kit primeiro socorros e caixa de medicamentos, e itens para preparar o leite da Sofia bem como caixas de leite.
    Na parte superior da divisoria ficaram nossas malas.
    Como em muitos carro os bancos traseiros da WS4 são dividos, retirei o banco com um assento e fiz uma " prateleira" para por um geladeira automotiva. Abaixo da geladeira foi um fogareiro de duas bocas, bujão P2, uma loga de 6x6m, varetas de carbono, panelas, pratos, uma bacia para limpar a louça, e cordas para amarrar a lona.
    Não especificamente para esta viagem, mas havia trocado os pneus originais por Michelins AT. No mais a viatura estava toda original.



    Fiz a revisão um dia antes da viagem, com isso voltei sem precisar fazer a revisão durante a viagem.
    Segue abaixo o "diário de bordo" feito ao final de cada dia.
    1º Dia

    Saimos da zona rural de Pelotas as 6:30hr como destino a Colonia do Sacramento, na entrada de Pelotas reabastecemos e calibramos os pneus.
    Até Jaguarão não seria na de novo na estrada.
    Paramos em Jaguarão para abastecer e comprar pesos Uruguaios, pagamos 1 Real/8,2Pesos.
    O que me chamou a atenção foi o custo, tudo muito caro frente ao Real.
    Almoçamos na estrada no Parador El Rancho. O assador deu uma requentada em um frango previamente assado, com batata frita, arroz, e ovo frito. Senti que minha esposa não curtiu, a pequena fez de conta que comeu, e eu tentei me alimentar...
    Uns 40min depois do almoço a Sofia ja pedia lanchinho. Bom, não falamos mas tambem queríamos. Paramos em Minas e compramos banana, pao, iogurte e salgadinho, essa brincadeira saiu uns R$170.
    A estrada é tranquila, fomos pela Ruta 8 até o contorno de Montivideo, e depois Ruta 1 até Colonia. Abasteci 500 Pesos em Montevideo só para manter o tanque mais agradevel a vista. No primeiro posto só tinha diesel S50, entao preferi no colocar.
    Pelo preço o plano era ficar no hotel Days In, mas achei que seria longe de tudo e preferi o Hotel Rivera. Não que o Rivera fosse ruim, mas é bem movimentado a rua e não tem garagem. O bom é que fomos a pé comprar o ticket do Buquebus, casa de cambio, e restaurante.
    Compramos o Buquebus para as 4:30hr a um custo aproximado de R$560, fiz uma conversão mandraque na hora e me pareceu mais vantagem pagar em Real.
    Comprei Pesos Argentinos a R$1 / 3,4.
    Jantamos na primeira pizzaria que encontramos e que parecia não muito cara.





    2º dia

    Saimos as 3:20hr do hotel.
    Seguimos o ritual ja descrito em outros relatos. Deixamos o carro, fizemos checking, imigração, onde gentilmente um senhor nos constrangeu a passar na frente da fila pois a Sofia dormia no meu colo.
    Na hora do embarque eu fui com a boiada, mas deveria ter ido para carro. Chegando no barco fui perguntar quando eu pegaria o carro. Me falaram que ja deveria estar no carro, me conduziram de volta até o acesso ao barco e desci no patio e logo peguei o carro.
    Assim que o barco moveu as luzes foram apagadas e nos também apagamos!
    Na chegada todos direto pro carro e fomos seguir o fluxo.
    Na saida pediram pra ver o porta malas, quando abri ja foram caindo algumas malas, fiz até uma brincadeira com o cara da fiscalização ... Ele pediu o documento do carro e perguntou se estava no meu nome. Como puxei a pasta dos documentos ja mostrei a Carta Verde, habilitação...
    Eu queria ir pela Ruta 3, mas meu GPS não. Logo fui para na Ruta 205, parecia uma rodovia de interior, mas com asfalto muito o bom e as tipicas longas retas. Mudei o trajeto para voltar a Ruta 3 pegando a 51, mesmo tipo de estrada. Atravessamos plantações gigantes.
    No inicio da Ruta 51 paramos em um YPF, e como o almoço do primeiro dia não tinha agradado fui para o plano B. Eu ja sabia que minha esposa não se agrada muito facil com comidas diferentes, então levei um fogão de duas bocas, lona, cordas, varetas de carbono, mesinha, cadeiras, e talheres. E claro, macarrão, carne pronta, temperos...Nunca acampei mas sei fazer armengues e gambiarras, improvisamos uma cobertura no porta malas e fizemos nos almoço, muito bom!
    Uma vez de volta da Ruta 3 olhei mais para o GPS do que para as placas e pronto, fui parar na Ruta 76 depois 51...mas chegamos em Bahia Blanca.
    Ficamos no hotel Martinique. É um aparte com uma cozinha basica, e a terceira cama era um sofa. A agua quente não funcionava muito bem, mas o hotel serviu bem. O grande problema dos hoteis não são os hoteis e sim a desvalorização do Real, acabam saindo caros comparados com hoteis bem melhores no Brasil.
    Fomos a pé até o centro onde minha esposa descobriu que gosta de Peceto, e iria sobreviver com ele!
    Deram duas fatias de pão de sanduíche por pessoa para café da manhã e tinha umas geleias. Ah, levamos cafe e açúcar! Enta o fizemos nosso cafe antes de partir.


    3º dia

    Saida de Bahia Blanca por volta de 8hr com destino a Puerto Madryn.
    A estrada flui bem, e mantive o olho no tanque mas nem perto de ser um problema a falta de postos.
    Paramos em Viedma para comprar algumas coisas no mercadinho e abastecer, na saida da cidade paramos num YPF para fazer o almoço, ja tinha um vento forte e frio. O lugar não era muito agradável a vista. Mais uma vez a cobertura improvisada e almoço feito, dessa vez com feijão!
    Seguindo viagem nas longas retas, e sem problemas.
    Na chegada em Pouerto Madryn tinha um vento muito forte! Abastecemos e fomos para o hotel Gran Madryn. Para a felicidade da Sofia tinha uma parquinho ao lado. Ja aproveitamos para levar as roupas na lavanderia (100 pesos por uma caixa ,tipo de feira, de roupas) ja que ficaríamos mais um dia por la.
    Jantamos numa pizzaria proximo ao hotel.





    4º dia

    Tinha pego um mapa e informações basicas da Península no dia anterior no hotel. E me fizeram a propaganda do legitimo cordeiro patagonico na Fazenda San Lorenzo.
    Na entrada da peninsula pagamos a taxa, atualmente 260 pesos por pessoa. Paramos no centro de informações e depois fomos a Punta Norte. Não gostei muito, os leões marinhos e focas ficam muito longe. Talvez com as baleias fique mais legal. Perguntei no local sobre o restaurante na tal fazenda e mais uma vez feedback muito positivo, comecei a animar! Entao fomos almoçar, o local estava vazio e estavam esperando um pessoal, o cordeiro ficaria pronto a 1hr, e eram 12hr. Após uma conversa, e uma falta de entendimento entre eu e a dona Maria resolvemos ficar nas entradas até o cordeiro que assava ao lado ficar pronto.
    Começamos a comer e disseram que ja estava pronto o cordeiro após um 25min, na verdade era um cordeiro "de ontem" que foi requentado e visualmente não muito agradavel e com partes poucos nobres, isso que não entendo nada de cordeiro!
    Resumindo, o lugar funciona por agendamento e pelo que percebi melhor com varias pessoas ou com um grupo, disposto a gastar, pois assim eles podem assar o cordeiro só para o grupo. Para nós foi só decepção.
    Partimo para Valdez onde ficamos bem perto dos pinguins, foi o que salvou o passeio. Depois fomos a Punta Piramides onde fizemos um lanche. Por fim conclui que deveriamos ter ido para Piramides primeiro, almoçado e feito o resto do passeio.
    Eu não dou muita bola para carro sujo, mas era tanta poeira que não aguentei, tive que passar um pano.
    As estradas da peninsula sao muito boas, mesmo as de terra.
    Depois de uma sensação de passeio frustrado fui levar a Sofia no parquinho mais uma vez e pegar a roupas na lavanderia.
    Fomos no Walmart comprar alguns mantimentos e mais garrfafões de agua para manter o estoque. Os restaurantes estavam cheios na maioria pois era domingo, e acabamos jantando proximo ao hotel e um restaurante na praia, parece um quioque, mas com estrutura de restaurante.
    Ficamos no Gran Madryn hotel ,muito bom. Até Puerto Madryn tinhamos hoteis ja reservados, então aproveitamos a internet do hotel para reservar o hotel de San Julian.






    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2-almoco-.jpg  

    Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2-almoco-.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4-san-julian.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-5.jpg  

  9. #9
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    Ta com dificuldade, agora descobri que não posso postar mais que 20 fotos de cada vez.
    Citação Postado originalmente por Subsea Ver Post
    5º Dia

    Saimos as 8hrs com um vento gelado.
    Na estrada a mesma paisagem..... Paramos a uns 150km antes de Rivadavia, montamos o acampamento e fizemos o almoço.
    Não sei se fiz certo mas passamos por dentro de Comodoro Rivadavia e Caleta Olivia, o que atrasa a viagem.
    Paisagem bem legal, mas não parar morar e ver todos os dias!
    Como sou petroleiro ver os campos de produção de Rivadavia foi bem legal!
    Chegamos em San Julian por volta de 21hr, ainda com sol. Acredito que por ser domingo as ruas estavam bem vazias.
    Ficamos hotel/pousada Drake, o hotel é bom, cafe da manha argentino bom, e boa internet. A noite ficamos com as chaves da entrada pois não tem ninguem após a meia noite. Estranho, mas não tivemos problemas.
    Fomos jantar proximo ao hotel por indicaçao da recepcionista.
    Marcamos hotel para Rio Gallegos e Ushuaia






    6º Dia

    Quase fomos espulsos da pousada porque ficamos até as 11hr.
    Fomos almoçar no mesmo restaurante da noite anterior. Se não me engano é Magda o nome.
    Saida após o almoço e tiro curto até Rio Gallegos, nem paramos pra abatecer.
    Fomos parados no posto policial da entrada da cidade, perguntaram se falavamos espanhol, ingles...fui no ingles que era ruim para nos dois. Só perguntou quantos nos eramos e para onde iamos.
    Ficamos no hotel Patagonia, um pouco acima da nossa media. Me assustei com os relatos dos hoteis mais em conta e resolvi ficar nesse. Muito bom!! Eu diria acima da media de planejamento para nossa viagem e com um bom bocado de luxo.
    Compramos algumas coisas na padaria pois sairiamos antes do café de manha, e escovas de dentes das moças que foram perdidas.
    Jantamos no restaurante do hotel.


    7º Dia

    Acordamos as 5hr, as malas ja estavam no carro.
    Não quis sair para abastecer no dia anterior para não perder a vaga na garagem do hotel, então primeira coisa abastecer. No posto proximo ao hotel não tinha Euro diesel, umas quadras na contra mão e chegamos na av. Sam Martin (sempre a principal) onde nos indicaram. Só não lembrei de pegar agua quente nem café...mas tinhamos os pães, pão de queijo (achei em Rio Gallegos) e uns croaçãs recehados que serviram de café da manhã.
    O objetivo era pegar a balça das 8;30hr.
    Ao sair não estava muito frio. Quando chegamos na aduana ela estava vazia, mas fui sozinho. Ao voltar para chamar as moças no carro ja estava um friozão! Até colocarem as roupas de frio a aduana encheu.
    Saida da Argentina e entrada no Chile feita. Claro, eu sempre com duvida no preenchimento da declaração. Eu declarei produtos vegetais e o cara perguntou o porque. Falei que tinha café.
    Na hora da revista tentei ser o maximo solicito, mostrei a geladeira com leite, ioguete, todinho, chocolate...e o porta malas, com pão, e tudo que levamos para cozinhar. Mas ele só queria saber de carne! Ai mostrei a carne desfiada de supermercado, ele disse que tava ok, mas perguntou se tinha carne, "carne de verdade", falei que não. Ai ele pediu para abrir uma das malas e depois fomos liberados.
    Seguindo viagem...mais uma vez olhei somente para o GPS, a nevegadora dormia e eu não tinha decorado o percurso.
    Acabei pegando a Ruta 257 enquanto todos que etasvam na aduana pegaram a Y-79. Acabei rodando bastante em um ripio esburacado, ainda mais que tinha chuvido na noite anterior. No primeiro carro que passei ja bateu uma pedrina no para-brisa e fez uma marca, menos mal que foi bem em baixo no lado do carona.
    Após o rally no ripio chegamos a aduana de saida do Chile, tramites rapidos. Pegamos um liquido marrom que eles vendiam como café. Até tentamos parar no restaurante após a aduana, mas se estava aberto não achamos a entreda.
    Para dar entrada na Argentina as moças ficaram no carro. E a resvista no carro foi basicamente verbal. E a partir daí fim do ripio.
    Passamos por Rio Grande tentando achar um restaurante, achamos uns lugares estranhos, e muitos fechados. Acabamos em um posto YPF comendo um pizza. E Ja completamos o combustivel.
    Faltando 120km para o Ushuaia um acidente feio na estrada parou o transito por 1,5hr.
    Até que enfim arvores e montanhas na paisagem!
    Chegamos na pousada Mirador Beagle as 18:00hr.







    8º Dia
    Dormimos até acordar, eu as 8hrs, a Mariana logo em seguida e a Sofia foi até as 9:30hr.
    Como ja tava de pé as 8:15hr fui tomar café sozinho, comi quase toda bandeja de mini croaçãs recheados. Café no padrão argentino mais completo e gostoso até aqui.
    Depois de prontos fomos até o centro trocar dinheiro, cotação muito boa, 1 / 3.8 pesos.
    Levamos roupas a lavanderia, 70 pesos por sacola.
    Por indicação do Cristian, proprietário da pousada, fomos no restaurante La Estancia. Segundo ele pagariamos um pouco mais mas seria garantido a qualidade. Mas chegando os garçons não mostraram a prestesa e simpatia recebidos até então. Porém na mesa ao lado só faltou sentarem no colo do pessoal, lógico, não queria que sentassem no meu colo! hauahuahua. Mas um tratamento solicito não ia mal.
    Eu pedi o buffet livre e minha esposa pediu um file com arroz. Enquanto a carne da Mariana estava sendo preparada eu esperi o legitimo cordeiro patagonico ficar pronto.
    Mais uma demostração de tratamento diferenciado. Todos que chegaram depois ja estavam servidos e comendo, e nós esperando. Claro, pode ser que o prato dela era mais demorado, mas não acedito....
    Ja instruido pelo Cristian da Pousada pedi paleta, o assador disse que não tinha. Isso que fui o primeiro a me servir! Me deu o que acho que era as costas, só a pele seca um pouquinho de carne. Fiz o que eu pude, e tentei catar a carne. Depois fui pedir um pedaço com mais carne, ai pensa num senhor ignorancia! O assador arrancou um pedaço do cordeiro que tava no fogo, picotou, jogou no prato e disse:- Paleta.
    Pela primeira vez na vida eu fui sincero quando o garçon perguntou se tinha me servido bem.
    Depois de ter 100% de certeza que não gosto de carne de cordeiro fomos para o parque Nacional, 100 Pesos por pessoa na entrada.
    Após 4339km chegamos ao final da Ruta 3, paradas pelo caminho para fotos.... Mais fotos no final da Ruta 3. Achei que era la o carteiro do fim do mundo que carimba os passaportes, mas não.
    Na volta do final da Ruta 3 passamos pelo primeiro carro de brasileiros, placa do Rio de Janeiro.
    Paramos no centro de informações Alakush, e por incrivel que pareça, não achei pra quem pedir informações! Perguntei para alguem que estava do lado de fora, acho que era guia de alguma escurção. Disse que a 400m em direção ao camping eles carimbavam. Fomos e nada...
    Fomos embora do parque sem carimbar os passaportes. E claro no caminho paramos em um parquinho para Sofia brincar. Ja aproveitei para fazer umas compras no super.
    O noite fomos convidados pelos donos da poudasa para jantar, uma tipo de risoto de Merlusa Negra. Eram nós e os outros ospedes...duas britanicas, um casal frances com o pai da moça. Depois de um vinho falavamos todos a mesma lingua.





    9º Dia
    O plano era ir até a lagoa Esmeralda, mas só de pensar em carregar a Sofia por 1,5hr minha coluna ja doia.
    Apos o jantar do dia anterior resolvemos dormir ate acordar. O dia amanheceu com vento forte e alguns pingos de chuva, tudo que precisavamos para desistir do passeio a Lagoa Esmeralda.
    Fomos almoçar no Tia Elvira, por indicação do Cristian da pousa, eu pedia Centolla ao parmesão e a Mariana Truta grelha. Eu diria que estava bom, mas nada de mais. Como porsão de camarão a milanesa na praia, se não por pimenta não tem sabor de nada, assim era a centola.
    A tarde formos comprar adevisos do Ushuaia e demais quinquilharias para lembrança, e claro, levar a Sofia ao parquinho. Dessa vez fomos no carrocel da praça.
    A noite fizemos uma janta na pousada mesmo.


    10º Dia

    Saimos as 6hr em ponto da pousa, ainda estava escuro e chovendo um pouco. Temperatura de 6 C. Ao logo do dia o céu foi abrindo. O Cristian da pousada me passou um roteiro indo pela Ruta 255 de volta para o Norte até San Gregorio e depois pegar uma estrada ripio até quase Natales.
    Estava com 3/4 de tanque e, Rio Grande e não quis entrar na cidade para abastecer achando que poderia abastecer em San Sebastiam. Chegando em San Sebastiam não tinha S10 e nem diesel comum!
    Na aduana joguei fora umas bananas e maçãs que não comemos. Mas marquei que tinha itens declaráveis, ao ser perguntado falei do café e doce de leite. Mas tinhamos comprado semente de flor no Ushuaia, e sabia que não podia e falai pra dona Maria que não dava para levar. Ela disse que colocaria na bolsa de mão e tal...só que não, ficou na sacola com as comidas de durante a viagem. Logico que foi o primeiro lugar que olharam! A fiscal perguntou se tinha declarado, eu respondi que sim por causa do cafe, mas que não sabia que aquilo não podia, mas que logicamente era vegetal. Mostrei o restante como sempre. Ela pediu meu nome e numero do meu passaporte e disse que podia ir. Não entendi, mas se era para ir não me demorei! Alguem sabe se devo esperar alguma coisa? Estou em alguma lista negra?
    Ao chegar no ferry um barco ja se aproximava, mas levou apenas caminhôes. Ficamos esperando quase 1 hr, e pegamos o segundo ao custo de 420 Pesos. Acabamos almoçando um lanche no restaurante do lado do continente do ferry. Bem bom e com preço bom.
    Como acabei não abastecendo, e o consumo naquelas estradas é um pouco maior resolvi seguir meu plano inicial, pegar a Ruta 255 sentido Punta Arenas. Acho que me escapei de uma furada. Com um olho no combustível e outro na estrada partimos, o plano era abastecer após 50 km na Ruta 255 num posto Copec, mas ao chegar naquele "posto" a bomba estava ligada mas não havia niguem. Como sabia que tinha outro posto proximo ao trevo para Puerto Natales não me importei muito e seguimos.
    No posto do trevo tinha diesel, foi a primeira vez que abasteci com diesel comum. Acho que foi uma boa hora para testar, pois caso desse problema teria Ponta Arenas e Purto Natales para socorro, agora se deixasse para testar na Carretera e dessa algum problema acredito que seria muito pior.
    Nesse mesmo posto tinha um turco de moto, esperando chegar o caminhão com gasolina ja faziam 4 horas. Detalhe, não falava inglês nem espanhol!
    Perguntei para o dono do posto que horas chegaria a gasolina, ele disse que estava previsto para o dia, mas não poderia dar certeza que viria pois ja eram 16hr.
    Perguntei (não sei nem como, mas nos entendemos) se ele queria agua, comida, suco, chocolate, cerveja...por fim perguntei se ele tinha dinheiro. Ele puxo um monte de Euros, Dolares, Peso Argentinos. Perguntei se tinha pesos do Chile e ele disse que não. Eu não conseguia raciocinar como converter para chilenos por nada, quis deixar o dinheiro com ele mas não aceitou. Então deixei o que gastei para encher o meu tanque e ele me deu o que gastava para encher o meu tanque em argentinos. Nisso veio uma ovelha se coçar nele, ele saiu da volta da ovelha, então a ovelha foi se coçar na moto dele e derrubou a moto! Menos mau que não estragou nada.
    Por fim o dono do posto tirou gasolina do proprio carro e deu pra ele.
    Seguindo viagem chegamos em Puerto Natales por volta das 18hr, ainda olhamos algumas lojas e fomos no supermercado onde encontramos um casal de brasileiros.
    Ficamos na pousada Cabañas Patagonia Insuto, bom para quem quer auto suficiência e não quer ser servido. São casinhas com banheiro, cozinha e sala em baixo e dois quartos em cima. Bem no centro, e com estacionamento cobrado a parte.
    Jantamos o que tinhamos deixado pre pronto para o almoço mas não conseguimos preparar, tudo acompanhado de um vinho baraticimo...
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4-almoco.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-5.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg  

    Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-5.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-6.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-8.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-10.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-5.jpg  


  10. #10
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    Dia 10
    Saida do Ushuaia até Puerto Natales
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-2.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-5.jpg  

  11. #11
    Usuário
    Entrada
    07/03/2010
    Local
    Pelotas/RS
    Idade
    36
    Posts
    49
    Agradecimentos: 0
    Dia 11
    Puerto Natales
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-1.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-4.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-3.jpg   Eu a patroa e a pequena,Ushuaia 2016 passando por Uruguai e Chile-5.jpg  

  12. #12
    Usuário
    Entrada
    20/09/2015
    Local
    Vitoria/ES
    Idade
    32
    Posts
    70
    Agradecimento: 1
    Show de bola!! Linda as fotos! O relato da viagem foi muito esclarecedor, obrigado!

Classificados ANUNCIE GRÁTIS

AQUI VOCÊ ENCONTRA TUDO

Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Tópicos Similares

  1. Respostas: 552
    Última resposta: 31/12/2015, 17:58
  2. Respostas: 6
    Última resposta: 27/11/2014, 17:50
  3. Respostas: 20
    Última resposta: 05/08/2014, 13:02
  4. De São Paulo ao Uruguai passando pelos Estados do Sul do País
    Por José Paschoal Neto no fórum Planejamento
    Respostas: 31
    Última resposta: 13/11/2013, 16:31

Tags para este Tópico

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  • BB Code está Ligado
  • Smilies estão Ligados
  • Código [IMG] está Ligado
  • Código HTML está Desligado