x
Convex Datacenter
Página 2 de 8 PrimeiroPrimeiro 12345678 ÚltimoÚltimo
Resultados 13 a 24 de 86
  1. #13
    Usuário Avatar de CAVESO
    Entrada
    04/10/2005
    Local
    Muriaé/MG
    Idade
    45
    Posts
    10,646
    Agradecimentos: 0



    Citação Postado originalmente por ADAILTON Ver Post
    E POR FAVOR, não comparem com o Engesa, só a lataria é igual o resto é tudo diferente.
    "Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa".

    Adailton (ex pqd).
    Só a lataria e o resto!

    É só colocar os dois lado a lado e observar: chassis, suspensões, eixos traseiros, tanque, etc, etc, etc.

    O que não é igual é só o que não é mais fabricado por fornecedores...

    Não entendo porque o pessoal não gosta de ouvir que copiaram o Engesa, afinal, ele sempre foi um dos melhores jipes do mundo!

    Como dizia o saudoso Rolim Amaro: "Quem não tem criatividade para criar, tem que ter coragem para copiar!"

  2. #14
    Bom, minhas opiniões são baseadas no que tenho OBSERVADO aqui em Boa Vista... na Força Aérea não temos Defenders, logo passo longe de falar algo que vivencio no dia a dia.

    Os motoristas do exército são mau treinados. Ou não aplicam aquilo que aprenderam na prática. Os oficiais menos ainda. Não possuem o conhecimento "off road" necessário para o uso adequado das viaturas.

    Desculpem, mas com sinceridade, é isso que presencio.

    Como tentativa de resolver a situação, agora cada viatura é conduzida apenas por um soldado especificamente, que é aconselhado por um padrinho. Será que vai resolver?

    IMHO, isso é um problema que afeta QUALQUER veículo de frota. Claro que alguns são mais resistentes as barbáries cometidas pelo fato de terem vários motoristas... vejo as Toyotas como um exemplo. Mas no final das contas, sofrem tanto quanto as Defenders.

    Não sei quais modificações foram realizadas para a incorporação das Lands no EB. Seria interessante pesquisar isso mais a fundo... vou tentar!!!

    Da mesma maneira, vou providenciar algumas fotos das viaturas para postar aqui!!!

    Eliseu, talvez incentivar o uso da reduzida no ambiente urbano (visto que as viaturas devem andar carregadas...) ajudaria a diminuir o gasto da embreagem!!!

    Abs,
    Ricardo A. I. Loureiro

  3. #15
    Citação Postado originalmente por Eliseu Ver Post
    Loras, o cronograma de manutenção do EB é o seguinte: revisão diária pelo motorista/operador nos níveis de óleo, filtros e reaperto geral. Semestralmente, existe uma revisão geral, chamada por nós de manutenção preventiva, com desmontagem de cubos de roda, freios, motor partida, alternador..... Seria aquela que a gente faz antes de uma viagem de férias. Fora disso, só manutenção corretiva, isso é, quando quebra algo. Aqui no Haiti, adotamos algo parecido: estamos fazendo uma revisão geral em todas as viaturas agora na chegada (uma Land a cada 2 dias, Mercedez a cada 2 dias e Urutu a cada 5 dias) e depois só corretiva até fechar o semestre, que é quando termina a missão para o nosso contingente, que é de gaúchos. O próximo é de cariocas, que devem seguir algo semelhante. Acho que respondi a dúvida...[]`s
    Eliseu,

    A Land Rover tem recomendações para a manutenção, especificando o que deve ser feito de tantos em tantos quilômetros. Tenho algo por escrito e algo digital, posso lhe enviar se necessário.

    Por curiosidade...

    É seguido as recomendações de torque para remontar os componentes?

    Quando uma peça está "meia-boca" e a viatura precisa continuar rodando. O que é feito? Roda com ela até quebrar?

    De quantos em quantos km se troca óleos e filtros?

    Abs,
    Ricardo A. I. Loureiro

  4. #16
    Usuário Avatar de Eliseu
    Entrada
    25/07/2005
    Local
    Santa Maria/RS
    Idade
    54
    Posts
    822
    Agradecimentos: 0
    Citação Postado originalmente por Loras Ver Post
    ....Os motoristas do exército são mau treinados. Ou não aplicam aquilo que aprenderam na prática. Os oficiais menos ainda. Não possuem o conhecimento "off road" necessário para o uso adequado das viaturas.
    ......Não sei quais modificações foram realizadas para a incorporação das Lands no EB. Seria interessante pesquisar isso mais a fundo... vou tentar!!!
    ...Eliseu, talvez incentivar o uso da reduzida no ambiente urbano (visto que as viaturas devem andar carregadas...) ajudaria a diminuir o gasto da embreagem!!!

    Abs,
    Loras, o uso da reduzida em perímetro urbano, como é o nosso caso, foi enfetizado durante curso de adaptação para Land Rover ministrado ainda no BR, por mim e o pessoal da manutenção. Mas vc ensinar e daí eles aplicarem...tem uma distância muito grande. Não huveram modificações nas Lands para o EB, a não ser aquelas pertinentes a militarização: faróis de blackout, chave de luzes militar, pontos de ancoragem, pintura, sistema de rádio...e só. Na mecanica, nada! Quanto ao conhecimento off road, acho que eu entendo o suficiente para "ensinar" esses garotos a conduzir uma viatura no off road. O problema é que aqui não se trata de off road, no sentido literal da palavra. Então eles acham que podem conduzir como na cidade, e os problemas aparecem. []`s

  5. #17
    Usuário Avatar de Eliseu
    Entrada
    25/07/2005
    Local
    Santa Maria/RS
    Idade
    54
    Posts
    822
    Agradecimentos: 0

    Post

    Citação Postado originalmente por Loras Ver Post
    Eliseu,
    A Land Rover tem recomendações para a manutenção, especificando o que deve ser feito de tantos em tantos quilômetros. Tenho algo por escrito e algo digital, posso lhe enviar se necessário.....É seguido as recomendações de torque para remontar os componentes?

    Quando uma peça está "meia-boca" e a viatura precisa continuar rodando. O que é feito? Roda com ela até quebrar?

    De quantos em quantos km se troca óleos e filtros?

    Abs,
    Loras, o EB segue, como qualquer cliente Land Rover o manual do usuário até acabar a garantia. Depois disso, não conheço nenhum dono de veículo off road que segue exatamente o manual, apenas realizando as trocas de óleo no período determinado. O EB não foge a esta regra. Porém aqui no Haiti, mesmo que quiséssemos, não teríamos como fazer as manutenções como previstas e em concessionária. Fazemos como eu citei acima. A peça que estiver meia boca na hora da revisão e não estiver em estoque, e caso não interfira na segurança do veículo, será mantida para uma posterior troca, e solicitada ao BR em caráter emergencial. Os óleos e filtros do motor são trocados a cada 3.500 km e o óleo do diferencial e caixas, a cada 7.000. Ou antes, caso ela entre para algum reparo emergencial ou manutenção semestral. A tabela de torque é seguida a risca, pelo manual de oficina (eletrônico) da LRover, de minha posse. Espero ter esclarecido algumas dúvidas. Vão perguntando, que daqui a pouco vem o troco. []`s

  6. #18
    Usuário Avatar de CAVESO
    Entrada
    04/10/2005
    Local
    Muriaé/MG
    Idade
    45
    Posts
    10,646
    Agradecimentos: 0
    Eliseu,

    Por que o Troller não foi aprovado pelo EB?

  7. #19
    Usuário Avatar de Eliseu
    Entrada
    25/07/2005
    Local
    Santa Maria/RS
    Idade
    54
    Posts
    822
    Agradecimentos: 0

    Thumbs up

    Citação Postado originalmente por CAVESO Ver Post
    Eliseu,

    Por que o Troller não foi aprovado pelo EB?
    Caveso, o Troller inicialmente não havia sido aprovado, pois a sua carroceria de fibra pegava fogo depois de sofrer disparos de munição traçante. Mas posteriormente, com a carroceria de "plastico", ou derivado de, foi aprovado. Foi adquirido um pequeno lote que está em testes mais longos, assim como do Marruá. []`s

  8. #20
    Citação Postado originalmente por Eliseu Ver Post
    Loras, o uso da reduzida em perímetro urbano, como é o nosso caso, foi enfetizado durante curso de adaptação para Land Rover ministrado ainda no BR, por mim e o pessoal da manutenção. Mas vc ensinar e daí eles aplicarem...tem uma distância muito grande. Não huveram modificações nas Lands para o EB, a não ser aquelas pertinentes a militarização: faróis de blackout, chave de luzes militar, pontos de ancoragem, pintura, sistema de rádio...e só. Na mecanica, nada! Quanto ao conhecimento off road, acho que eu entendo o suficiente para "ensinar" esses garotos a conduzir uma viatura no off road. O problema é que aqui não se trata de off road, no sentido literal da palavra. Então eles acham que podem conduzir como na cidade, e os problemas aparecem. []`s
    Eliseu,

    Conheço bem a diferença entre teoria e prática...

    Vejo que você é um grande interessado e deve possuir extenso conhecimento off road, a começar pela participação no fórum!!!

    Mas não é a realidade que vejo AQUI em Boa Vista... a começar pelos relatos de incidentes, acidentes e ocorrências que acontecem com as viaturas.

    Já observei algumas viaturas e realmente não notei adaptações radicais. Vou tentar fuçar com a máquina digital em mãos.

    Abs,
    Ricardo A. I. Loureiro

  9. #21
    Usuário Avatar de Eliseu
    Entrada
    25/07/2005
    Local
    Santa Maria/RS
    Idade
    54
    Posts
    822
    Agradecimentos: 0

    Experiência?!?! Eu?

    Citação Postado originalmente por Loras Ver Post
    .......Vejo que você é um grande interessado e deve possuir extenso conhecimento off road, a começar pela participação no fórum! Mas não é a realidade que vejo AQUI em Boa Vista... a começar pelos relatos de incidentes, acidentes e ocorrências que acontecem com as viaturas.

    Já observei algumas viaturas e realmente não notei adaptações radicais. Vou tentar fuçar com a máquina digital em mãos.
    Abs,
    Loras, não tenho conhecimentos tão extensos como você cita. Sempre tem pessoal mais capacitado do que nós imaginamos!!!
    O que você chama de adaptação "radical"? []'s

  10. #22
    Citação Postado originalmente por Eliseu Ver Post
    Loras, o EB segue, como qualquer cliente Land Rover o manual do usuário até acabar a garantia. Depois disso, não conheço nenhum dono de veículo off road que segue exatamente o manual, apenas realizando as trocas de óleo no período determinado. O EB não foge a esta regra. Porém aqui no Haiti, mesmo que quiséssemos, não teríamos como fazer as manutenções como previstas e em concessionária. Fazemos como eu citei acima. A peça que estiver meia boca na hora da revisão e não estiver em estoque, e caso não interfira na segurança do veículo, será mantida para uma posterior troca, e solicitada ao BR em caráter emergencial. Os óleos e filtros do motor são trocados a cada 3.500 km e o óleo do diferencial e caixas, a cada 7.000. Ou antes, caso ela entre para algum reparo emergencial ou manutenção semestral. A tabela de torque é seguida a risca, pelo manual de oficina (eletrônico) da LRover, de minha posse. Espero ter esclarecido algumas dúvidas. Vão perguntando, que daqui a pouco vem o troco. []`s

    Eliseu,

    Não me refiro ao manual do proprietário. E sim ao Workshop manual!!! Esse eletrônico que você tem!!!

    Trocar os óleos é o mínimo e a infinitésima parte da manutenção necessária. Essa inclue cuidados com a carroceria, chassis, substituição de correia dentada, limpeza e lubrificação detalhada dos eixos, entre outras tarefas.

    Algumas peças são trocadas de x em x quilômetros, independente do seu estado, a partir de uma vida útil estimada. Certo?

    Concordo que as exigências da situação no Haiti, impeça tal "carinho" com as viaturas. Isso deve contribuir de certa forma para prejudicar o desempenho como um todo. Buchas estragadas danificam os amortecedores, que danificam os rolamentos e assim a cascata segue...

    Os alternadores costumam quebrar muito por aí?

    Como estão as caixas de direção?

    Abs,
    Ricardo A. I. Loureiro

  11. #23
    Citação Postado originalmente por Eliseu Ver Post
    Loras, não tenho conhecimentos tão extensos como você cita. Sempre tem pessoal mais capacitado do que nós imaginamos!!!
    O que você chama de adaptação "radical"? []'s
    Adaptação radical?

    Reforço em chassis, modificação de suspensão, freios, etc.

    Pelo que percebi, a adaptação das Defenders foram:

    1. Pontos de ancoragem prolongados nas extremidades do chassis

    2. Snorquel

    3. Quebra mato dianteiro

    4. Painel com chave geral e seletora dos faróis

    5. Substituir portas e teto por lona

    6. Substituir console entre os bancos

    7. Suporte de rádio (nas viaturas com essa finalidade)

    Isso tudo eu encaro apenas como "acessórios", mais simples de instalar, entende?

    Amanhã tiro fotos, se a viatura escalada para apoio for uma Defender!!!!

    Abração,
    Ricardo A. I. Loureiro

  12. #24
    Usuário Avatar de Eliseu
    Entrada
    25/07/2005
    Local
    Santa Maria/RS
    Idade
    54
    Posts
    822
    Agradecimentos: 0

    Thumbs up

    Citação Postado originalmente por Loras Ver Post
    Adaptação radical....
    1. Pontos de ancoragem prolongados nas extremidades do chassis

    2. Snorquel

    3. Quebra mato dianteiro

    4. Painel com chave geral e seletora dos faróis

    5. Substituir portas e teto por lona

    6. Substituir console entre os bancos

    7. Suporte de rádio (nas viaturas com essa finalidade)

    Isso tudo eu encaro apenas como "acessórios", mais simples de instalar, entende?

    Amanhã tiro fotos, se a viatura escalada para apoio for uma Defender!!!!

    Abração,
    Realmente, não conheço nenhuma adaptação mecanica em Lands para as Forças Armadas brasileiras. Apenas perfumarias, para poder dizer que são "de uso militar", ao contrário das usadas pelo exército inglês, que inclui até reforço no chassis. []`s

Classificados ANUNCIE GRÁTIS

AQUI VOCÊ ENCONTRA TUDO

Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Tags para este Tópico

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  • BB Code está Ligado
  • Smilies estão Ligados
  • Código [IMG] está Ligado
  • Código HTML está Desligado

Change privacy settings Alterar definições de privacidade