x
Convex Datacenter
Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 12 de 15
  1. #1
    Usuário Avatar de koiti
    Entrada
    07/04/2008
    Idade
    51
    Posts
    7
    Agradecimentos: 0

    Estação Base PY e PX em APARTAMENTO




    Saudações !!
    Sou iniciante no mundo dos radios PX e PY, e apesar de já estar preparando meu indicativo PX (e provas para PY), estou com algumas dificuldades para instalar uma base PX em um apartamento.

    Será que é possível fazer uma instalação com razoável qualidade quando se trata de uma base em APARTAMENTO ? Estou em S.Paulo, e aqui a concentração de prédios é bem alta, fora o espaço reduzido da sacada para uma plano-terra.

    Como acredito que outros aqui moram em apartamentos, acho que alguém já deve ter sucesso e poderia me dar alguma idéia.

    Pensei em instalar uma antena na cobertura do prédio, já que a LEI No. 8.919 nos garante esse direito, mas são mais de 20 andares acima de onde estou.

    Outra tentativa foi ligar o rádio (Midland 1000z) à uma antena B2080 Aquarios, instalada na janela do quarto (sei que isso não deveria ser feito) e também à uma antena bastão do tipo EH Voyager (1m comprimento, 0,9 db) mas os resultados foram ruins.

    Ouvi falar também da antena Electril (http://www.electril.com/electril/catalogo/ref512r.htm) própria para sacadas, que precisa de radiais terra, mas essa ainda não tentei.

    Alguma idéia ?!
    73s !!!

  2. #2
    Primeiro é necessário entender o seguinte:

    -Toda e qualquer onda eletromagnética se propaga em linha reta.

    -Todo e qualquer obstáculo atenua ou reflete as ondas eletromagnéticas.

    -A intensidade com que as ondas são atenuadas ou refletidas depende da potência e frequência destas ondas.

    Daí fica fácil. Do lugar que pretende instalar a antena e tendo a linha do horizonte como referência, dê uma olhada em 360°. A grosso modo, o que você estiver enxergando será o raio de cobertura do seu rádio.

    No mais, existem antenas omnidirecionais e direcionais.
    As omnidirecionais propagam (e recebem) as ondas em todas as direções, já as direcionais, como o nome diz, propagam (e recebem) em apenas uma direção, o que faz com que estas ultimas apresentem ganho, tanto em recepção quanto em transmissão, daí que, dependendo do ganho da antena, alguns obstáculos poderão se tornar mais, digamos, permeáveis, aumentando a raio de ação do seu rádio.
    No topo de prédios é possível utilizar antenas direcionais tanto para PY quanto para PX, que para maior raio de ação devem ser providas de controle giratório, mas dependendo do caminho e comprimento do cabo as perdas podem inviabilizar as vantagens.
    Antena direcional pela janela do apartamento pode surtir algum efeito, mas só se for para PY e mesmo assim com restrição de visada. Para PX isso é inviável por causa do tamanho da antena, já que a mais simples, de três elementos em 1/4 de onda, ocupa área maior que muito apartamento que existe por aí.

    .

  3. #3
    Usuário Avatar de koiti
    Entrada
    07/04/2008
    Idade
    51
    Posts
    7
    Agradecimentos: 0
    Bem esclarecedor Sukys, mas a partir de qual o comprimento de um cabo de boa qualidade tornaria isso inviável ? No meu caso são 22 andares (em torno de 70 mts) acima. Isso é muito ?

    Um rádio de maior potência (10 watts) ou uma bota (apesar de ilegal) iria ajudar em um cenário em que a antena esteja em local cercado de prédios ?

  4. #4
    O termo "cabo de qualidade" é muito relativo, porque existem diferenças mesmo entre os que são de qualidade, e esta questão só pode ser respondida pelo próprio fabricante, que poderá lhe indicar as perdas envolvidas em tal comprimento.
    Comprimento ou qualidade do cabo é só o começo, já que o resultado final também dependerá do percurso da fiação, que deverá ser feito com o menor numero possível de curvas acentuadas e distante de fontes de ruído eletromagnético.


    Quanto ao uso de bota, esquece, e se o fato de ser proibido já não é o suficiente ainda existem dois grandes motivos para não utiliza-la:

    -Assim como entre jipeiros, entre os radioamadores também se preza muito o respeito e a camaradagem, e o uso de bota irá interferir na conversa de muita gente, inclusive em canais adjacentes ao seu uso, e quem entra neste mundo de bota, leva sapato na cabeça.

    -Sem falar que o uso de bota causa saturação em distâncias relativamente pequenas, de que adianta mandar uma modulação lá para o fim do mundo se você não consegue ouvir eventual resposta?
    Para entender melhor, imagine duas pessoas tentando se comunicar por sinais luminosos, onde uma faz uso de farol de carro e outra de isqueiro. Se a distância for grande você não enxergará a resposta, e se for pequena causará ofuscamento em quem recebe.

    .

  5. #5
    Usuário Avatar de koiti
    Entrada
    07/04/2008
    Idade
    51
    Posts
    7
    Agradecimentos: 0
    Mais uma excelente explicação Sukys. A comparação farol/isqueiro foi perfeita !

    A pretenção é instalar o PX na minha viatura, um REO M-35 6x6 que estou reformando. Enquanto ela não fica pronta, o que deve durar muitos meses, dependendo do QSJ, eu iria corujar no PX, e quem sabe, pegar algumas dicas com camioneiros (estou próximo à marginal).

    As dicas deles é de grande valia, pois preciso de revisão completa da viatua, mecânica, suspensão e freios para o Reo.

    Mas pelo cenário, estou com pouca sorte, já que tenho como vizinhos próximos, prédios na casa dos 25 andares e meu sinal está bastante comprometido (lembrando que estou no 4 andar).

    Sukys, você poderia comentar sobre a antena da Electril que indiquei acima ? Como faço esses radias terra ? Fios comuns ? Eles são responsáveis pelo TX correto ?

    Valeu pelas excelentes dicas parceiro !!

    73s !
    4X4 Brasil

  6. #6
    Rapaz, sobre essas antenas que existem hoje em dia não tenho o que opinar, mas levando em conta o pouco de experiência que tive com PX posso te afirmar o seguinte: para uso móvel, saiu da maria-mole qualquer coisa é antena.

    Sobre o plano de terra (que não tem aplicação em antenas direcionais ou dipolos), sua função é criar um "terra virtual" na base da antena, e tem como finalidade a obtenção de ROE mais adequado e melhor garantia de homogeneidade na omnidirecionalidade (em bom português, transmitir e receber mesma forma, em todas as direções)

    Por se tratar de "terra virtual", o plano de terra nada mais é que uma superfície condutora conectada ao terra do rádio (malha do cabo da antena), com a base da antena em seu centro e cujo raio seja múltiplo (ou submúltiplo) do comprimento de onda.
    Na prática - e ainda mais móvel - coisa do tipo é inviável, então o jeito é posicionar a base da antena em superfície metálica que mais se aproxime disso, como no teto, por exemplo, mas aí também entram em jogo o visual e até aspectos de segurança, já que uma maria-mole no teto do seu REO vai fisgar urubu e até helicóptero

    .

  7. #7
    Usuário Avatar de koiti
    Entrada
    07/04/2008
    Idade
    51
    Posts
    7
    Agradecimentos: 0
    Sukys, aproveitando da sua "pouca experiência", uma antena direcional para PX poderia ser utilizada para comunicação de longa distância, apontando para a ionosfera ?

    Tem aquela história de ciclo solar de 11 anos, e a partir desse ano a propagação deve melhorar para 11 mts não é isso ? É esse tipo de antena (direcional) que é utilizada para esses fins ?

  8. #8
    Lembra do lance das ondas se propagarem em linha reta e de serem refletidas por obstáculos?
    Então, colocando a coisa como um jogo de bilhar, poderemos imaginar as ondas como bolas de bilhar, a ionosfera como o batente da mesa e o taco como a direção a seguir.
    Alterando a posição do taco (posição da antena direcional) poderemos lançar as bolas para uma região bem determinada, mas para isso é necessário que o batente (ionosfera) apresente resistência adequada (espessura adequada) caso contrário a bola (onda) poderá ser amortecida ou simplesmente romper o batente (ionosfera).

    Para entender melhor essa história de resistência do batente que não bate com o exemplo do bilhar basta saber que a ionosfera tem uma determinada espessura, que varia em função da "fase" da Terra (espessura e distância desta camada sofrem influência quando expostas ao sol) e em função da atividade solar (que acontece em ciclos de 11 anos, quando existe aumento dos ventos solares, que por sua vez promovem o mesmo tipo de alteração, só que em maior intensidade).
    Oras, se levarmos em conta que num determinado instante a ionosfera apresenta uma espessura constante qualquer (que na verdade não existe, mas vamos simplificar) podemos dizer que, de um determinado ponto da superfície da Terra, a espessura na linha do horizonte será muito maior que no zênite (linha perpendicular em relação ao horizonte), daí que a medida que afastamos a antena da linha do horizonte diminuem as chances de reflexão, consequentemente as chances de contato à longa distância. Junte a isso as variações cíclicas que, mesmo apontando a antena para o horizonte, a espessura poderá ser tal que não reflita as ondas, que se propagarão infinito à fora.

    E só para complicar, o que torna o DX muito mais empolgante, mesmo as antenas direcionais apresentam um ângulo de cobertura relativamente grande, ângulo que diminui à medida que aumentam os elementos da antena.
    Por exemplo, uma direcional de três elementos poderia ser comparada a um farol de neblina, já uma de quatro elementos a um farol normal, uma de cinco a um farol de milha, e por aí vai. Ou seja, quanto maior o número de elementos menor o ângulo de cobertura e maior a intensidade do sinal.
    Resultado disso tudo: dependendo do comportamento da ionosfera, se de São Paulo apontarmos a antena para o Norte poderemos contactar alguém que esteja no México ou em Minas, e pode ter certeza que será mais fácil falar sobre "tortijas" do que sobre pão de queijo, justamente por causa da diferença de espessura da ionosfera, entre zênite e linha do horizonte, e dependendo de como andam as coisas lá por cima é possível fazer DX até com antena omnidirecional.

    No mais, quanto maior o comprimento de onda (menor a frequência) maior a chance de contato por reflexão ionosférica, o que explica a possibilidade de contato do tipo via 11m (PX) e não via 2m (PY).
    Por outro lado, quanto menor o comprimento de onda (maior a frequência) aumentam as chances de "mandar o sinal para mais longe", daí que tem maluco que faz contato em 2m via reflexão... lunar!

    Ah, e se a idéia é fazer contatos por AM pode ir preparando a cama porque vai levar canseira. DX por 11m é na base de SSB (banda lateral), preferida por causa da maior potência irradiada e melhor aproveitamento do sinal.

    .
    4X4 Brasil

  9. #9
    Usuário Avatar de koiti
    Entrada
    07/04/2008
    Idade
    51
    Posts
    7
    Agradecimentos: 0
    Boa Sukys !! Uma verdadeira aula !!

    Eu nem imaginava que era possível utilizar a lua para refletir ondas de 2m. Realmente é um mundo à parte de conhecimentos sobre radio comunicação.

    E essas informações sobre antenas omni e direcional foi muito boa.
    E sobre Banda Lateral... o que difere da comunicação normal no PX ? USB SSB ?

    Tenho muita curiosidade de me aprofundar, mas morando em apertamento fica meio complicado.

  10. #10
    Koiti, banda lateral nada mais é que a transmissão AM com supressão de portadora e uma das bandas de modulação.
    Simples, não?

    Como imagem vale mais que mil palavras, acesse o link abaixo, que mesmo dispensando boa parte da teoria por lá descrita não ficará difícil entender o conceito do SSB.

    http://paginas.terra.com.br/lazer/py...ia/modulam.htm

    .

  11. #11
    Usuário Avatar de koiti
    Entrada
    07/04/2008
    Idade
    51
    Posts
    7
    Agradecimentos: 0
    Realmente estou cada vez mais fascinado pelo rádio, Sukys. Valeu pelas valiosas informações. Vou estudar para a prova da Anatel para indicativo em py.

    Obrigado !

  12. #12
    Koiti, deixa eu "me meter" auqi na conversa de vocês... Sukys explicou muita coisa boa aí. Eu só quero passar minha experiência. Sou radio amador e PX (PP5PD e PX5P4004) e montei minha estação auqi no prédio onde moro. Porém, tenho a facilidade de morar no último andar. Puxei os cabos das antenas pela chaminé da churrasqueira que fica na varanda. Porém, há uma coisa que atrapalha muito a comunicação em HF nas grandes cidades: a QRM... isso me desanimou muito, hoje me dia qualquer lampada florescente causa uma chiadeira danada no rádio (QRM), sme contar na quantidade de motores, geradores, alta tensão, etc.... Eu tinha um rádio bom, com 100W (YAesu FT 857D) antenas boas e bem posicionadas em cima do predio (fotos) cansei de fazer contatos com vários países da europa, america do norte, etc... porém em muitos contatos, outros colegas meus que estavam junto e moram em casa longe do centro da cidade (sem muita QRM) escutavam outras pessoas que eu não conseguia ouvir, porque a QRM não deixava.

    Então, eu continuo gostanto do rádio amadorismo, mas só vou voltar a ter estação fixa quando eu morar numa casa longe da cidade. A única coisa que dá pra usar em prédios é um HT VHF.. isso é bom e não tem muita interferência. Sugiro que você compre um THF6A da Kenwood ou um VX7 da Yaesu... eles são praticamente um scanner e vc pode usar repetidoras além de ouvir polícia, bombeiro, etc... se gosta de rádio vai se divertir com isso. Mas não esqueça de fazer a prova da Anatel antes.

    boa sorte
    Carlos Gouveia (Govi)
    Discovery V8i 1998
    PP5PD - PX5P4004


Classificados ANUNCIE GRÁTIS

AQUI VOCÊ ENCONTRA TUDO

Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  • BB Code está Ligado
  • Smilies estão Ligados
  • Código [IMG] está Ligado
  • Código HTML está Desligado

Change privacy settings Alterar definições de privacidade