Página 3 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234 ÚltimoÚltimo
Resultados 25 a 36 de 44
  1. #25
    Usuário
    Entrada
    23/08/2008
    Local
    Fortaleza/CE
    Posts
    89



    Bem, sou usuário de militec-1 a uns 7 anos... Utilizei em um Palio, Celta, Corsa, Gol e TR4's.

    Nao tenho nada a reclamar. Alias, vou contar uma história bem interessante: No Gol, tive problema no cárter (furou) e rodei por uns 30 km até chegar em Fortaleza sem nem notar o problema... Com isso, acredito que a propaganda de redução de atrito seja verídica, pois nao tive maiores problemas no motor.

    Atualmente utilizo em uma TR4, nao atras de ganhar potência e sim com a idéia de proteção.

  2. #26
    Usuário
    Entrada
    23/10/2009
    Local
    Presidente Prudente/SP
    Idade
    45
    Posts
    83
    Amigos, sou fã de MILITEC, nem por isso sou apaixonado por ele!!! Uso o Militec há quase dez anos, em vários veículos que possuí. Carro original, carro turbo montado de arrancada, moto, e camionete a diesel. Tanto nos motores, quanto nos câmbios, seja automático ou manual, inclusive no fluido da direção hidráulica. O que ocorre é que o MILITEC ao meu ver tem um papel preventivo e não corretivo, o que já "gastou" e "desgastou" não tem mais jeito, agora, se a idéia é prevenção e conservação acredito no produto, pois simplesmente o que era para "quebrar" acaba não quebrando. E tinha uma Classe A 160 q trazia consigo o "defeito" de todas, a batida do tucho na primeira partida a frio, meu Deus, parecia que o motor efetivamente não tinha oleo, dada a construção do motor, e isso é normal nas Classe A de modo geral, usei Militec... E o barulho acabou, claro que NÃO, mas diminuiu bastante a ponto de deixar de incomodar. Em motocicleta, usando sempre na mesma maneira, (trecho, tocada e temperatura), percebi que a temperatura abaixou um "pelinho". Assim creio que temos um produto "coerente" e não "milagroso" e a adoção ou não do seu uso diário depende muito do tipo de consumidor/proprietário. Eis que imagine uma pessoa que troca de carro todo ano, não tem motivo pra gastar dinheiro com Militec, mesmo porque ele nunca vai estar com um carro fora da garantia, isso pensando na prevenção de desgaste e quebra. Entretanto, na economia de combustível (tal parâmetro nunca aferi) talvez seja interessante. Amanha farei uma viagem de aproximadamente 1.000 km com uma Hilux SRV Automática 3.0 Diesel que nunca fez mais de 10 km/l na estrada por mais que eu me esforçasse. Acabei de trocar o óleo e colocar dois frascos de 200ml cada no motor, vamos ver se acontece alguma coisa alem dos 10km/l amanha no percurso. Veremos. Repasso a noticia. Vou ver se muda aquele "castanhado" feio do motor da Hilux entre 1.500/1.800 rpm com o motor sem carga. Depois da chegada posto aqui a impressão. Abraços a todos. Inté mais ver....

  3. #27
    Usuário
    Entrada
    03/04/2011
    Idade
    32
    Posts
    4
    Citação Postado originalmente por mombergue Ver Post
    Amigos, sou fã de MILITEC, nem por isso sou apaixonado por ele!!! Uso o Militec há quase dez anos, em vários veículos que possuí. Carro original, carro turbo montado de arrancada, moto, e camionete a diesel. Tanto nos motores, quanto nos câmbios, seja automático ou manual, inclusive no fluido da direção hidráulica. O que ocorre é que o MILITEC ao meu ver tem um papel preventivo e não corretivo, o que já "gastou" e "desgastou" não tem mais jeito, agora, se a idéia é prevenção e conservação acredito no produto, pois simplesmente o que era para "quebrar" acaba não quebrando. E tinha uma Classe A 160 q trazia consigo o "defeito" de todas, a batida do tucho na primeira partida a frio, meu Deus, parecia que o motor efetivamente não tinha oleo, dada a construção do motor, e isso é normal nas Classe A de modo geral, usei Militec... E o barulho acabou, claro que NÃO, mas diminuiu bastante a ponto de deixar de incomodar. Em motocicleta, usando sempre na mesma maneira, (trecho, tocada e temperatura), percebi que a temperatura abaixou um "pelinho". Assim creio que temos um produto "coerente" e não "milagroso" e a adoção ou não do seu uso diário depende muito do tipo de consumidor/proprietário. Eis que imagine uma pessoa que troca de carro todo ano, não tem motivo pra gastar dinheiro com Militec, mesmo porque ele nunca vai estar com um carro fora da garantia, isso pensando na prevenção de desgaste e quebra. Entretanto, na economia de combustível (tal parâmetro nunca aferi) talvez seja interessante. Amanha farei uma viagem de aproximadamente 1.000 km com uma Hilux SRV Automática 3.0 Diesel que nunca fez mais de 10 km/l na estrada por mais que eu me esforçasse. Acabei de trocar o óleo e colocar dois frascos de 200ml cada no motor, vamos ver se acontece alguma coisa alem dos 10km/l amanha no percurso. Veremos. Repasso a noticia. Vou ver se muda aquele "castanhado" feio do motor da Hilux entre 1.500/1.800 rpm com o motor sem carga. Depois da chegada posto aqui a impressão. Abraços a todos. Inté mais ver....

    mombergue,

    Eu tb coloquei MILITEC no meu carro, mas na moto achei que não pudesse uma vez que a embreagem é banhada pelo oleo do motor. Se o MILITEC aderir nos discos, eles não vao dar grip pra movimentar a moto. Procede isso??

  4. #28
    Usuário
    Entrada
    26/05/2005
    Local
    São Paulo/
    Idade
    44
    Posts
    310
    Reolonaap, vi em algum lugar na net que o militec poderia ser colocado em moto, mas não sei onde e acho o mais correto não ficar no achômetro, tenta dar uma perguntada direto para eles:

    militec@militecbrasil.com.br


    Abs!
    Octavio
    Tk 09 - Estribo + Geolandar H/T

  5. #29
    Usuário
    Entrada
    03/01/2010
    Local
    Porto Alegre/RS
    Idade
    38
    Posts
    162

    teste realizado pela revista motorshow em 2004.

    Fica a critério de cada um o que pensar.

    Militec. Alguém já usou. Funciona?-revista-motor-show-abril-2004-teste-aditivos-01.jpgMilitec. Alguém já usou. Funciona?-revista-motor-show-abril-2004-teste-aditivos-02.jpgMilitec. Alguém já usou. Funciona?-revista-motor-show-abril-2004-teste-aditivos-03.jpgMilitec. Alguém já usou. Funciona?-revista-motor-show-abril-2004-teste-aditivos-04.jpgMilitec. Alguém já usou. Funciona?-revista-motor-show-abril-2004-teste-aditivos-05.jpgMilitec. Alguém já usou. Funciona?-revista-motor-show-abril-2004-teste-aditivos-06.jpg

  6. #30

    Entrada
    24/06/2012
    Local
    Teixeira de Freitas/BA
    Idade
    43
    Posts
    0
    Olá pessoal, sou novo por aki, mas posso dar uma contibuição ao assunto (militec). sou usúario à 3 anos. quando me falaram sobre os beneficios desse produto, achei muito fantasioso. Depois de muita propaganda de um amigo meu fiz uso pela primeira vez numa S10 Blazer à gasolina. ocorre que eu emprestei minha Blazer pro meu pai fazer uma viagem e o carro vazou a agua do radiador toda, acendeu a luz de água no painel e meu pai não parou, rodou uns 15km sem água no motor na expectativa de chegar a um posto de gasolina pois era tarde e deserto onde estva e aconteceu o pior, o carro parou e subiu um fumaceiro e fedor de queimado, os sintomas era de um motor carbonizado, a temperatura foi tão alta que o cabeçote deformou, quando o mecanico abriu o motor ele não acreditou que a parte de baixa estava intacta, chegou falar em milagre, pois é, ele acredita que foi o militec que salvou o motor. depóis disso passei a usar regurlamente, tenho uma Mitsubishi Pajero Sport 3.0 4x4 automática à dois anos e meio, comprei ela já fumando, já rodei 88mil km e até hoje ela não abriu o bico, não perde potencia, não faz nenhum tipo de barullho no motor. depois de colocar militec senti que ela ficou mais economica, fazia no máximo 7,5 de média em viagem, depois do militec consegui fazer 8,5 de média em viagens por um tempo e depois ela se estabilizou em 8,2. Bom pessoal, comigo esse militec funcionou.

  7. #31
    Usuário
    Entrada
    19/02/2008
    Idade
    46
    Posts
    4
    A todos os colegas do Fórum,

    Podem usar tranquilamente o MOLYKOTE A-2 em todos os motores seja ele diesel, gasolina, álcool ou GNV. Para quem não sabe o MOLYKOTE A-2 NÃO É ADITIVO DE ÓLEO LUBRIFICANTE, mas sim um eficiente protetivo do motor. Diferente do B-12, STP, Militec, Carbono Puro e outros, o Molykote A-2 é um óleo de suspenção à base de bissulfeto de molibdênio que pode ser adicionado a qualquer óleo de motor, caixa de câmbio e diferencial sem alterar a viscosidade ou composição. Para caixas e diferenciais o ideal é utilizar o MOLYKOTE FC. O MOLYKOTE só não pode ser adicionado a sistemas de freios.Ao adicionar MOLYKOTE A-2 ao carter, forma-se um filme lubrificante oleoso extremamente resistente ao desgaste, que se mantém aderido aos metais oferecendo uma lubrificação de emergência devido à formação da película de MoS2.

    A aplicação do produto deverá ser da seguinte forma 30ml de Molykote A-2 para cada litro de óleo, ou seja, se o cárter comporta até 5 litros, 1 frasco de Molykote A-2 a cada duas trocas é mais que suficiente. No caso de diferenciais e caixa aplicar 1 bisnaga de 50 ml a cada 2,5 litros.

    Para quem duvida da eficiência e solidez desse produto que já existe no mercado a mais de 60 anos, seguem dois vídeos, um deles inclusive da década de 60. Em usinas eólicas eles adicionam MoS2 a um óleo sintético nascaixas de transmissão de geradores e a caixa lubrificante só é trocada a cada 7 anos, importante salientar que um gerador eólico funciona em média de 20 a 22 horas por dia.

    Teste Molykote na década de 60: (nessa época não existiam montagens nos filmes, muito menos efeitos especiais)




    Aplicação de bissulfeto de molibdênio em usinas eólicas: (reportagem isenta pois tratava-se de uma matéria sobre usinas eólicas no History Channel)





    Benefícios:


    Aumenta o desempenho do motor
    Reduz o consumo de combustível e lubrificantes
    Reduz folgas e ruídos
    Reduz a temperatura do motor, pois reduz o atrito interno
    Prolonga a viscosidade do óleo
    Prolonga a vida útil das peças e do motor
    Lubrificação constante inclusive na partida a frio
    Lubrificação emergencial nos arranques a seco e em condições subdimensionadas.


    Característica:


    Não é tóxico, não reage quimicamente com os metais e não ataca outros componentes.
    Não causa entupimentos e sequer chega a ficar retida em um filtro de óleo. O MoS2 é microscópico.
    Resistente ao desgaste.
    Mantém se aderido aos metais oferecendo uma lubrificação de emergencia.
    É indicado como adicional aos óleos lubrificantes, para uso em motores diesel, gasolina, GNV, Flex e álcool, aumentando sobremaneira sua vida útil, além de inúmeras aplicações na industria.


    Características do Bissulfeto de Molibdnêo:


    Encontrado no mineral molibdênita e possui aparencia de grafite.
    Resiste a pressões estremas. A eficácia como lubrificante, ao contrário do que acontece com outros lubrificantes conhecidos aumenta com a pressão desenvolvida, que está muito acima do limite elástico de qualquer metal.
    A dureza do MoS2, medida na escala Moh é baixa: 1 a 1,5, no entando a dureza do próprio molibdnêio chega a 8 (diamante = 10) o que é mais alto do que aço e o que explica a resistencia do MoS2 contra o desgate.
    Sua função como lubrificante é independente da temperatura para uma margem compreendida entre 68°C à 450°C.
    O coeficiente de atrito fica entre 0,05 à 0,09. Seu efeito lubrificante é baseado na formação de um revestimento por camada finíssima sobre as superfícies metálicas. O revestimento será mais aderente e mais efetivo quanto mais friccionado à superfície.
    Leitura Complementar:


    Ação através da fricção entre os metais, as microparticulas de Bissulfeto de Molibdnênio "MoS2" através de ação mecânica irão se fixar nas rugosidades do metal, formando um filme ultra-resistente a cargas, separando o atrito metal contra metal. Para se ter uma idéia da resistência do produto, o MoS2 oferece proteção na razão de 7 mil quilos por cm quadrado.
    Para quem não sabe, demora algum tempo até que o óleo do cárter suba a parte superior do motor, sendo este o local que mais sofre na hora da partida. O molykote forma uma película sólida de proteção que não escorre e continua fixa, atuando como um lubrificante emergencial, assim como também age nos momentos em que a lubrificação hidrodinâmica não foi formada plenamente ou destruída por qualquer outro motivo. O molykote faz com que seu motor tenha uma vida útil maior. E lembrando que não é aditivo e portanto não "vicia" o motor.

    A Molykote foi fundada em 1954 em Munique, na Alemanha. O nome da marca é uma combinação das palavras Moly e Coating, o que significa a cobertura, revestimento e encapamento com bissulfeto de molibdênio.

    A marca registrada da Dow Corning Corporation, a Molykote se tornou um símbolo de qualidade para lubrificantes especiais provando seu alto rendimento.

    Em caso de dúvidas podem me consultar pois utilizo o Molykote há mais de 20 anos nos meus carros.

    Abraço a todos,
    Marcelo

  8. #32
    Usuário
    Entrada
    10/11/2010
    Local
    Cuiabá/Pontes e Lacerda/MT
    Idade
    27
    Posts
    1,532
    Olha nunca usei Militec...mas ja usei o Molykote em um Celta 2009 que tive!!
    Na hora que abri o frasco e vi a cor do produto, confesso que fiquei com medo de colocar dentro do motor viu....kkkkkkk
    Ele é de cor cinza escuro beeeeeem concentrado...
    Coloquei dentro do motor e depois fui medir na vareta de óleo se não tinha passado do limite!!
    Deu um arrependimento tão grande..kkkk...o óleo ficou um pouco escuro..mas já tinha ido e não tinha mais volta!!
    Ao sair na Br, como o Celta tem a relação de marcha curta, a quinta marcha fica esgoelando já a 120Km/h...e como eu so andava em torno de 140Km/h era uma tristeza o motor berrando tempo todo!!
    Devo admitir que o carro ficou um pouco mais silencioso sim...
    Porém nunca mais usei, essa foi a primeira e ultima já que aqui em Cba é muito caro, e toda vez que fosse usar tinha que ficar comprando no Mercado Livre, que foi onde comprei!!
    Agora que olhando este tópico aqui, fiquei interessado em usar pelo menos o de cambio e diferencial na L200...
    Talvez use no motor tbm pra ver se ele dura um pouco mais antes da primeira retífica..bixinho já ta com 198.000Km!!

  9. #33
    Usuário
    Entrada
    12/12/2010
    Local
    Brasília/DF
    Idade
    35
    Posts
    50

    Molykote

    Boa tarde, Marcelo!

    Estou pensando em usar Molykote na minha Toyota Prado 3.0 Turbo Diesel pra tentar melhorar o consumo urbano.
    Onde você costuma comprar? Tenho receio de adquirir no ML, pois não conheço nenhum vendedor do produto que seja confiável.
    Obrigado!

    Brenno

    Citação Postado originalmente por macdat Ver Post
    A todos os colegas do Fórum,

    Podem usar tranquilamente o MOLYKOTE A-2 em todos os motores seja ele diesel, gasolina, álcool ou GNV. Para quem não sabe o MOLYKOTE A-2 NÃO É ADITIVO DE ÓLEO LUBRIFICANTE, mas sim um eficiente protetivo do motor. Diferente do B-12, STP, Militec, Carbono Puro e outros, o Molykote A-2 é um óleo de suspenção à base de bissulfeto de molibdênio que pode ser adicionado a qualquer óleo de motor, caixa de câmbio e diferencial sem alterar a viscosidade ou composição. Para caixas e diferenciais o ideal é utilizar o MOLYKOTE FC. O MOLYKOTE só não pode ser adicionado a sistemas de freios.Ao adicionar MOLYKOTE A-2 ao carter, forma-se um filme lubrificante oleoso extremamente resistente ao desgaste, que se mantém aderido aos metais oferecendo uma lubrificação de emergência devido à formação da película de MoS2.

    A aplicação do produto deverá ser da seguinte forma 30ml de Molykote A-2 para cada litro de óleo, ou seja, se o cárter comporta até 5 litros, 1 frasco de Molykote A-2 a cada duas trocas é mais que suficiente. No caso de diferenciais e caixa aplicar 1 bisnaga de 50 ml a cada 2,5 litros.

    Para quem duvida da eficiência e solidez desse produto que já existe no mercado a mais de 60 anos, seguem dois vídeos, um deles inclusive da década de 60. Em usinas eólicas eles adicionam MoS2 a um óleo sintético nascaixas de transmissão de geradores e a caixa lubrificante só é trocada a cada 7 anos, importante salientar que um gerador eólico funciona em média de 20 a 22 horas por dia.

    Teste Molykote na década de 60: (nessa época não existiam montagens nos filmes, muito menos efeitos especiais)




    Aplicação de bissulfeto de molibdênio em usinas eólicas: (reportagem isenta pois tratava-se de uma matéria sobre usinas eólicas no History Channel)





    Benefícios:


    Aumenta o desempenho do motor
    Reduz o consumo de combustível e lubrificantes
    Reduz folgas e ruídos
    Reduz a temperatura do motor, pois reduz o atrito interno
    Prolonga a viscosidade do óleo
    Prolonga a vida útil das peças e do motor
    Lubrificação constante inclusive na partida a frio
    Lubrificação emergencial nos arranques a seco e em condições subdimensionadas.


    Característica:


    Não é tóxico, não reage quimicamente com os metais e não ataca outros componentes.
    Não causa entupimentos e sequer chega a ficar retida em um filtro de óleo. O MoS2 é microscópico.
    Resistente ao desgaste.
    Mantém se aderido aos metais oferecendo uma lubrificação de emergencia.
    É indicado como adicional aos óleos lubrificantes, para uso em motores diesel, gasolina, GNV, Flex e álcool, aumentando sobremaneira sua vida útil, além de inúmeras aplicações na industria.


    Características do Bissulfeto de Molibdnêo:


    Encontrado no mineral molibdênita e possui aparencia de grafite.
    Resiste a pressões estremas. A eficácia como lubrificante, ao contrário do que acontece com outros lubrificantes conhecidos aumenta com a pressão desenvolvida, que está muito acima do limite elástico de qualquer metal.
    A dureza do MoS2, medida na escala Moh é baixa: 1 a 1,5, no entando a dureza do próprio molibdnêio chega a 8 (diamante = 10) o que é mais alto do que aço e o que explica a resistencia do MoS2 contra o desgate.
    Sua função como lubrificante é independente da temperatura para uma margem compreendida entre 68°C à 450°C.
    O coeficiente de atrito fica entre 0,05 à 0,09. Seu efeito lubrificante é baseado na formação de um revestimento por camada finíssima sobre as superfícies metálicas. O revestimento será mais aderente e mais efetivo quanto mais friccionado à superfície.
    Leitura Complementar:


    Ação através da fricção entre os metais, as microparticulas de Bissulfeto de Molibdnênio "MoS2" através de ação mecânica irão se fixar nas rugosidades do metal, formando um filme ultra-resistente a cargas, separando o atrito metal contra metal. Para se ter uma idéia da resistência do produto, o MoS2 oferece proteção na razão de 7 mil quilos por cm quadrado.
    Para quem não sabe, demora algum tempo até que o óleo do cárter suba a parte superior do motor, sendo este o local que mais sofre na hora da partida. O molykote forma uma película sólida de proteção que não escorre e continua fixa, atuando como um lubrificante emergencial, assim como também age nos momentos em que a lubrificação hidrodinâmica não foi formada plenamente ou destruída por qualquer outro motivo. O molykote faz com que seu motor tenha uma vida útil maior. E lembrando que não é aditivo e portanto não "vicia" o motor.

    A Molykote foi fundada em 1954 em Munique, na Alemanha. O nome da marca é uma combinação das palavras Moly e Coating, o que significa a cobertura, revestimento e encapamento com bissulfeto de molibdênio.

    A marca registrada da Dow Corning Corporation, a Molykote se tornou um símbolo de qualidade para lubrificantes especiais provando seu alto rendimento.

    Em caso de dúvidas podem me consultar pois utilizo o Molykote há mais de 20 anos nos meus carros.

    Abraço a todos,
    Marcelo

  10. #34

    Entrada
    21/11/2013
    Local
    porto alegre/RS
    Posts
    0

    Eu nao usei ainda porem ja me foi oferecido eu tenho medo de colocar meu carro motor

    Citação Postado originalmente por Winsley Ver Post
    Prezados,

    Tenho ouvido falar do Militec, que é um produto que promete diminuir o atrito das partes de metal etc etc. Será que funciona ou é mais um migué publicitário?

    Alguém aqui já usou nas viaturas?
    Eu não usei ainda porem me foi oferecido eu tenho medo de colocar meu carro motor V6. Renault relato que em 1994 comprei algo parecido tal de metal 5 e coloquei num FORD Landal V8 /1981 e fui fazer uma viagem de Porto Alegre RS a FORTALEZA CE onde so tive aborrecimento acabei com motor do V8 desde tão fico temeroso as tais milagres, hoje uso óleo mineral e troco sempre junto com filtro a cada 4500 km meu carro já esta com 105 mil km perfeito ,mas caso consiga um relato eficiente comprovado referente ao Militec posso ate mudar de ideia mas ate momento não creio

  11. #35
    Usuário Avatar de Murillus
    Entrada
    26/02/2007
    Local
    Fortaleza/CE
    Posts
    2,475
    Em todos os topicos sobre MILITEC sempre deu briga... Mas eu usei e usarei novamente... E se fizer 1% do prometido, ja é "lucro"...
    Troller PORQUINHO... com... Baú JURASSIC TRAILER...
    L200 Outdoor HPE
    RUIVINHA... e... EX Tracker
    ...


  12. #36
    Usuário Avatar de Zani
    Entrada
    04/10/2010
    Local
    PR/PR
    Idade
    37
    Posts
    401
    Detalhe, digam-nos onde estão comprando MILITEC e MOLYKOTE.....
    Aguardo.
    Abraço.
    Zani
    Hilux CD 2002 3.0

Página 3 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234 ÚltimoÚltimo

Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Tópicos Similares

  1. Alguém já usou isto no pneu?
    Por Donizetti no fórum Fórum Geral 4x4 Brasil
    Respostas: 13
    Última resposta: 24/11/2013, 18:32
  2. Pneus goodride- alguem já usou?
    Por sergiopincelli no fórum Geral Off-Topic
    Respostas: 16
    Última resposta: 30/07/2010, 08:53
  3. Alguem já usou TIFOR
    Por acaetano no fórum Jeep Willys
    Respostas: 7
    Última resposta: 28/07/2006, 15:55
  4. Pneus BS Colway AT 500 . Alguem já usou ?
    Por djalmab no fórum Suzuki
    Respostas: 5
    Última resposta: 24/05/2006, 21:38

Tags para este Tópico

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
Topo