• Diretor-geral da Porsche é o novo presidente da Volkswagen

    -porsche.jpg

    O diretor-geral da Porsche, Matthias Müller, é o novo presidente-executivo da Volkswagen. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (25), dois dias após a renúncia de Martin Winterkorn, em meio ao escândalo da fraude de dados de emissões de poluentes.

    "Minha tarefa mais urgente será recuperar a confiança para o Grupo Volkswagen sem deixar nenhuma pedra sem ser revirada e com o máximo de transparência, chegando a conclusões corretas sobre a situação atual", disse o executivo após o anúncio.

    A Volkswagen assumiu o uso de um software em carros a diesel que detecta quando eles estão passando por alguma vistoria e reduz o nível de poluentes nesses casos. No uso normal, os veículos soltam mais gases tóxicos do que o permitido. Segundo a montadora, 11 milhões de carros em todo o mundo possuem o software.

    "Sob minha liderança, a Volkswagen vai fazer tudo o que pode para desenvolver e implementar padrões rígidos em nossa indústria. Se conseguirmos atingir isso, o grupo, suas marcas fortes e sua equipe competente e altamente motivada terão a chance de emergir da crise mais forte do que entrou", completou.


    Demissões e reestruturação
    A montadora afirmou que houve novas demissões, mas não detalhou quem foi desligado da empresa, além de Winterkorn.

    O presidente da Volkswagen nos Estados Unidos, Michael Horn, que disse a jornalistas que a companhia "ferrou tudo" com a má prática, segue no cargo.

    Foi divulgada uma reestruturação da companhia, que visa dar mais poder a marcas e regiões. Elas assumirão responsabilidades que antes ficavam com a diretoria do grupo.

    Estados Unidos, Canadá e México formarão a recém-criada região da América do Norte. Ela terá como responsável Winfried Vahland, de 58 anos. Ele era presidente do conselho de administração da Skoda, subsidiária tcheca da Volkswagen.

    A chefia de produção do Grupo Volkswagen, por exemplo, deixará de existir. “As marcas e regiões terão mais independência em relação à produção. E, consequentemente, deverão ser responsáveis por essas atividades", disse Berthold Huber, do conselho de supervisores.

    Já as marcas Porsche, Bugatti e Bentley formarão um conjunto de marcas de luxo e esportivas.Audi, Lamborghini e Ducati seguem como outro conjunto, bem como empresas de veículos comerciais do grupo.

    CEO começou na Audi
    O alemão Müller tem 62 anos e está no Grupo Volkswagen há 37 anos. Ele é formado em ciência da computação e começou a carreira na companhia na marca
    Audi que, assim como aPorsche, pertence ao grupo.

    Müller foi responsável pelo modelo A3 em 1993 e assumiu a chefia de produto de Audi, Seat e Lamborghini em 1995.

    Em 2007, se tornou chefe de produto da marca Volkswagen e do grupo. Em 2010, assumiu a chefia da Porsche, que havia acabado de ser comprada pela Volkswagen, além de integrar o conselho do grupo. Segundo a montadora, ele acumulará funções até a nomeação de um novo diretor-geral para a Porsche.

    "Müller é um grande estategista, empreendedor e competente socialmente. Ele conhece bem o grupo e suas marcas e pode iniciar a nova tarefa com energia total. Valorizamos sua abordagem crítica e construtiva", disse a Volkswagem, em comunicado nesta sexta.

    Na Porsche, uma marca que chegou ao grupo endividada, Müller conseguiu aumentar vendas e o lucro, mantendo a essência da marca conhecida pelos carros esportivos.

    Fonte: Auto Esporte
Topo